Malária

Compartilhe
Qui, 06/11/2008 - 10:51
O mosquito Anopheles é o vetor da Malária

Características
A malária, também conhecida por paludismo, impaludismo ou febre palustre, é uma doença causada por protozoários do gênero Plasmodium. Quatro espécies de plasmódios podem infectar o homem: Plasmodium falciparum (P. falciparum) que causa a forma mais grave da doença, Plasmodium vivax (P. vivax), predominante no Brasil, Plasmodium ovale (P. ovale), que ocorre apenas no continente Africano e Plasmodium malariae (P. malariae).

Protozoário do gênero Plasmodium (pontos mais escuros) no interior das hemácias (em rosa). O material foi corado para melhor visualização das células ao microscópio ótico. Aumento: 1500x. Foto cedida por Técia M. U. Carvalho
Transmissão
O plasmódio é geralmente transmitido ao homem pela picada de mosquitos do gênero Anopheles (também conhecidos como “mosquito prego”). Somente a fêmea do Anopheles se alimenta de sangue, por isso, só ela pode transmitir a malária ao picar a pessoa para se alimentar. As fêmeas infectadas possuem centenas ou até milhares de plasmódios em suas glândulas salivares. Cada vez que elas picam uma pessoa, muitos desses protozoários entram em contato com os vasos sanguíneos da pele. A malária também pode ser transmitida por transfusão sanguínea e de mãe para filho (transmissão congênita).
Sintomas
As manifestações iniciais são acessos febris, que podem ser regulares ou não, mal estar, dores de cabeça e pelo corpo, cansaço e calafrios. A doença pode evoluir para quadros mais graves como anemia, icterícia (pele amarelada), comprometimento de órgãos vitais (rins, pulmões e cérebro), convulsões, coma e morte do paciente.
Prevenção
As principais formas de prevenção são o uso de inseticidas, que matam os insetos adultos, a eliminação dos criadouros de mosquitos mediante aterros, drenagens, limpeza e desobstrução das margens de rios e canais e a substituição da irrigação com canais a céu aberto por sistemas que utilizem tubos fechados, já que os mosquitos se criam em coleções de água como represas, lagos, lagoas, rios, valas, alagadiços temporários, etc. Como proteção individual recomenda-se o uso de repelentes, telas nas janelas, mosquiteiro ao redor da cama e que se evite viajar para áreas onde há alta incidência da doença. Não existe vacina disponível para malária. Atualmente, uma vacina para a doença vem sendo testada em Moçambique e os testes iniciais vêm mostrando bons resultados.
Tratamento
Existem medicamentos para tratamento da malária (como cloroquina, quinina, mefloquina entre outros), e a doença pode ser tratada com sucesso se for detectada precocemente.
Distribuição
A malária está presente em mais de 100 países. No Brasil é encontrada principalmente na região da Amazônia legal.

Fonte: OMS 2004