NEDIC-IFRJ traz jogos educativos ao ECV

Compartilhe
Seg, 21/09/2015 - 15:42

Com o tema “Genética nossa de cada dia”, o evento está sendo coordenado pela professora e pesquisadora Tânia Goldbach, que também é vice-coordenadora da Pós-Graduação Lato Sensu em Ensino de Ciências da instituição e responsável por projetos que envolvem Jogos Didáticos e dinamização do ensino de Biologia e Ciências, que serão voltados ao assunto tratado no Sábado. “Na minha linha pessoal de trabalho, estou voltada a entender como lidar com o desafio de construir um ensino de genética nas escolas com uma abordagem integrada e atualizada, que consiga trazer aspectos do cotidiano, que junte, por exemplo, uma genética clássica com uma genética molecular”, disse a professora Tânia em entrevista. “Isso faz parte das minhas discussões.”

O NEDIC foi criado em 2007, no período que ocorreu ampliação das missões do Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) – antiga ETFQ e CEFET-Química - quando foram implantados Curso de Graduação e Pós-Graduação, e daí foram estimuladas atividades de pesquisa e extensão. É formado por professores e pesquisadores, além de alunos que fazem parte da Iniciação Científica que são de graduação ou curso médio-técnico. Foram sendo construídas várias frentes de pesquisa e de desenvolvimento de material didático e divulgação. “Junto com isso, professores desejosos de aperfeiçoamento e de terem um local para repensar o ensino e debater novas estratégias de trabalho para suas salas de aula começaram a circular na instituição, fazendo com que o núcleo crescesse”, conta Tânia.

imagem_2

Turma de Ensino Médio – IFRJ (2012)

Uma das estratégias para cumprir o objetivo da pesquisadora de tornar o ensino de genética mais integrado foi começar a pensar em modelos e jogos didáticos. “Eu tive e tenho bolsistas muito animados, o que foi muito positivo para o trabalho. Estimulados a participar de eventos da área de Educação em Ciências e afins (em Encontros da Sociedade Brasileira de Ensino de Biologia – SBEnBio e anualmente na “Genética na Praça” – que acontece dentro do Congresso da Sociedade Brasileira de Genética), temos elaborado, ao logo dos últimos anos, diferentes jogos com esse objetivo.”   

“Fomos construindo várias linhas de pesquisa”, diz Tânia, “uma delas envolve jogos e estratégia ativa de ensino e aprendizagem”. Na pós-graduação, temos disciplinas nas quais os alunos-professores são estimulados a bolar jogos, a utilizar recursos da informática para estratégias didáticas, etc. No início, começaram a ter um acúmulo de jogos superinteressantes, mas que ficavam guardados na sala. Então, desse modo, com os projetos de pesquisa e em extensão em curso, esses jogos ganharam a oportunidade de serem desenvolvidos com melhores recursos e apresentados, de maneira a estimular o aprendizado e ensino de seus respectivos temas.

A pesquisadora e professora comenta que os jogos ligados ao tema Genética “são jogos voltados para o ensino médio, alguns para o início da graduação, e que demandaram muito trabalho, contando com o apoio da FAPERJ no Programa de Socialização e Empréstimos de Materiais Didático Elaborados pelo NEDIC: Temática Hereditariedade e Tópicos afins” (estes podem ser baixados aqui).

imagem_3

Logos dos jogos e materiais didáticos sobre a temática genética produzidos pelo Nedic

A novidade do ano é que temos um projeto já aprovado em parceira com o Museu Espaço Ciência Viva, intitulado “Espaço de Divulgação e Elaboração de Jogos Didáticos – Parceria NEDIC-IFRJ – ECV”. Ele tem o objetivo de socializar um conjunto de jogos para o público frequentador, em especial para os professores, que, na base de interação e empréstimos, poderão ser multiplicadores destas novidades pedagógicas.

Os jogos, com algumas modificações, como é o caso do “Genes & Interações: caminhos a percorrer”, estarão sendo apresentados no Sábado da Ciência do dia 26. Outros foram feitos especialmente para o evento e ainda têm aqueles que ficarão disponíveis para futuras visitações. Venha conferir!