Astrofotografia

Marcos Mataratzis - Grupo de Astronomia do Espaço Ciência Viva

 

Fotografar o céu é uma forma que temos de manter um registro daquilo que foi visto ao telescópio. Esse tipo de registro pode ser feito de diversas maneiras, passando pelos mais variados tipos de câmeras e telescópios. Na maioria dos casos é necessária uma câmera que possa ser mantida com o obturador aberto por um tempo determinado pelo fotógrafo. Assim, pode-se capturar a luz dos astros e acumulá-la no filme ou CCD, conforme o tipo de câmera usada. Seja qual for o caso, manter a câmera com seu obturador aberto requer que ela esteja fixa em algum lugar como, por exemplo, um tripé ou mesmo fixada a um telescópio.

Tipos de fotos que podem ser tiradas pelo astrônomo amador:

1) Máquina acoplada a um tripé, usando cabo disparador: usado para fotografar fenômenos de grandes campos, como constelações;

2) Máquina acoplada à ocular de um telescópio sem acompanhamento: fotos da Lua e de planetas brilhantes como Júpiter, Vênus, Saturno ou Marte;

3) Máquina acoplada a um telescópio dotado de motor de acompanhamento: nesse tipo de foto, dependendo do equipamento e da qualidade do céu, podem-se tirar verdadeiras obras de arte, como fotos de aglomerados de estrelas, nebulosas e galáxias.

 Em cada um dos casos citados o equipamento pode pertencer ao próprio amador, ou não. Nos dias atuais existem observatórios espalhados pelo mundo que alugam seus equipamentos para que amadores dos quatro cantos do planeta possam fazer suas fotos.

 As fotos apresentadas a seguir foram tiradas por telescópios de observatórios controlados remotamente por mim, no conforto de minha casa, usando meu computador. Através de um software de configuração instalado nos computadores dos referidos observatórios, eu configurei cada telescópio para apontar para uma determinada parte do céu, onde eu de antemão sabia que existiam objetos dignos de serem fotografados.

 Uma vez apontados para tais objetos, eu determinei o tempo em que o telescópio deveria ficar apontado para o alvo e por quanto tempo a câmera iria coletar a luz vinda de tais objetos. Feito isso, as várias fotos brutas foram baixadas do servidor daqueles computadores e, fazendo uso de softwares apropriados, cheguei a essas imagens.

M13: Aglomerado Globular na constelação Hercules
M16: Nebulosa da água na constelação Cauda da Serpente
Galáxia M31 Na constelação de Andrômeda
Galáxia M63 na constelação Cães de caça
NGC5139: Aglomerado globular na constelação Centauro
NGC7293: Nebulosa planetária Helix na constelação Aquário