Oficina de Fotografia Pinhole

Em algum momento da sua vida você talvez tenha se deparado com a seguinte pergunta: “Fotografia é arte?” ou até mesmo essa: “Mas onde está a arte se o meio a ser fotografado está pronto e não precisamos fazer nenhuma interferência artística?”.

Perguntas como essas vieram a tona no ano de 1839, quando a fotografia foi inventada. Os grandes pintores da época, os chamados de verdadeiros artistas, perderam seus serviços sociais (desenhos de retratos, de vistas das cidades, de ilustrações), para os fotógrafos, surgindo várias teses contra esse novo meio mecânico. Com o tempo, a fotografia foi inovando e se impondo, e hoje não restam dúvidas que ela é sim um tipo de arte.

A arte nasce a partir dos sentimentos ou gosto pessoal. O fotógrafo manifesta suas inclinações e gosto na escolha dos temas, na disposição espacial, na iluminação, no enquadramento, no enfoque. Essas escolhas variam de pessoa a pessoa retratando seu gosto pessoal, sua subjetividade.

As imagens abaixo foram feitas por visitantes do Espaço Ciência Viva, na oficina “A Química da Fotografia”. Foram exploradas diferentes áreas do espaço do museu e a “nossa máquina” é muito diferente das mais atuais, pois fotografamos com uma lata! Esse meio de fotografar é chamado de pinhole, que em inglês significa “furo na lata”. Aprenda como montar a sua no “Faça você mesmo”.

 A oficina consiste em explicações sobre a câmara escura, o negativo das fotos, a inversão da imagem projetada. A oficina ainda ensina como a Pinhole é construída, e cada um recebe a sua câmara. Optamos por não montar as Pinholes com os participantes, pois isso tomaria muito tempo. Na sala escura explicamos sobre o papel fotográfico, a luz vermelha, a necessidade de o procedimento ser feito de luz apagada, e o tempo necessário de exposição para tirar a foto. Assim, recarregamos as Pinholes com papel fotográfico e o participante pode sair da sala e escolher o ponto a ser fotografado. De volta a sala escura as fotos são reveladas, e o processo de obtenção de imagens a partir do revelador, interruptor e fixador é explicado.

 

 

 

Imagem do positivo dos monitores no pátio da entrada do ECV
Imagem do negativo dos monitores no pátio da entrada do ECV
Imagem do positivo da grade do portão do ECV
Imagem do negativo da grade do portão do ECV
Imagem do positivo de um visitante que participou da oficina no ECV
Imagem do negativo de um visitante que participou da oficina no ECV
Imagem do positivo do jardim do ECV
Imagem do negativo do jardim do ECV
Imagem do positivo feita com um pequeno pote (de filme fotográfico)
Imagem do negativo feita com um pequeno pote (de filme fotográfico)
Imagem do positivo do muro do ECV
Imagem do negativo do muro do ECV
Imagem do positivo de uma fotografia artística (gotas de revelador, e filme fotográfico mergulhado no revelador com a luz do laboratório acessa)
Imagem do negativo de uma fotografia artística (gotas de revelador, e filme fotográfico mergulhado no revelador com a luz do laboratório acessa)
Imagem do negativo de prédios ao lado do ECV
Imagem do negativo do jardim didático do ECV