Cacto candelabro


Cacto-candelabro no Jardim Didático Maria de Lourdes Barreto Santos, © Larissa Farias, 2019

Nos visitem no JARDIM DIDÁTICO Maria de Lourdes Barreto Santos

MINHA IDENTIDADE

Nome popular: Cacto-candelabro.

Outros nomes: candelabro, Árvore africana do leite, Trigona do Eufórbio.

Nome científico: Euphorbia trigona.

Espécie ameaçada de extinção: ( ) Sim. (x) Não.

MINHAS HISTÓRIAS

Apesar do nome que carrego, eu não sou um cacto, mas uma cactácea, um tipo de árvore que teve origem dos cactos.

Segundo o naturalista romano Caio Plínio II, o nome de minha família Euphorbiaceae foi dado pelo rei mouro Juba II, em 30 a.C., como uma homenagem ao seu médico Euphorbus, que descobriu as propriedades medicinais (laxantes) da Euphorbia resinifera, uma “parente” que ainda ocorre naturalmente no norte africano.

O nome Euphorbus vem do grego e significa “boa comida” – eu (boa/bem) e phorbe (comida).

O substantivo grego “euphorbia” significa “boa alimentação” e o adjetivo “euphorbio” significa “bem alimentado”

Tendo origem no sul da África, fui amplamente disseminado no Brasil, em especial na região Nordeste, para construção de cercas vivas.

COMO ME RECONHECER?

Sou uma árvore alta e suculenta, com ramos redondos parecidos com um balão.

Posso atingir de 6 a 8 metros de altura.

Meu tronco é grosso e as hastes têm 5 nervuras cada uma, tendo de 3,5 a 7,5 centímetros de espessura.

Floresço do outono ao inverno.

Meus frutos são e as flores são atraentes para os polinizadores.

Minhas sementes são comestíveis para aves, que também gostam de fazer seus ninhos nos meus ramos.

HABITAT / ORIGEM

Semelhante ao meu local de nascimento (África), a Caatinga tem um solo firme e seco, o clima é pouco úmido e bem ensolarado.

Não gosto do frio e minha capacidade de acumular água me permite sobreviver a grandes secas.

NATUREZA E ARTE

Com um bom controle, posso ser usada na ornamentação de jardins de pedras, embora minha principal utilização no paisagismo seja para construção de cercas vivas.

CUIDADOS E SAÚDE

Possuo um látex leitoso venenoso que pode causar cegueira (danos sérios na córnea), irritação grave da pele e envenenamento.

Contudo, também sou usado como purgantes ou inibidor de drogas.

Algumas culturas usam minhas hastes para tratar intoxicação por peixe.

REFERÊNCIAS

  • SCARANO, Fabio R. et al. Biomas brasileiros: retratos de um país plural, Rio de Janeiro. Casa da Palavra, 2012.
  • LORENZI, Harri. Árvores brasileiras: manual de identificação e cultivo de plantas arbóreas nativas do Brasil. Nova Odessa, SP, Editora Plantarium, 1a edição, 1992.
  • ROYAL BOTANIC GARDENS, KEW AND MISSOURI BOTANICAL GARDEN. (Org.). The Plant List: A working list of all plant species. The Plant List, 2013. http://www.theplantlist.org/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.