Exposição Origami: Arte e Ciência

A exposição Origami: Arte e Ciência apresenta um breve histórico e um panorama da grande extensão e variedade de estudos e criações com dobraduras, focando no meio material do papel. A exposição está organizada nos seguintes módulos:

Módulo 1: Origami e Ambiente

Apresenta a origem de diferentes tipos de “papeis”, precursores do papel flexível e maleável, em especial:

-O papiro egípcio, a partir de fibras do papiro. Um papel ainda inadequado à dobradura, por ser quebradiço e as dobras produzirem rasgos entre as fibras.

-O papel-machê, produzido por vespas e inventado pelos chineses, papel pastoso adequado a produção de esculturas e objetos moldados.

A origem e fabricação do papel egípcio: Uma planta sagrada é transformada em papel para  registros gráficos, ideográficos e textuais. O meio material fundamental para a invenção da escrita que permite gravar memórias e histórias, mas ainda é inadequado às dobraduras, por ser quebradiço.

Insetos produzem pastas com fibras vegetais e resíduos orgânicos. A invenção e produção de pastas especiais de fibras vegetais é a base para a produção de papel machê. Os chineses são observadores de insetos e inventam a seda (bicho da seda), o papel machê (vespas) e possivelmente isto inspirou a invenção do papel flexível e maleável.

Módulo 2: O papel flexível e dobrável

Apresenta o papel flexível chinês, sua história e invenção. E a origem da dobradura de papel japonesa, o nascimento de uma Arte: o Origami Clássico.

A invenção do papel flexível chinês, sua história e seus mitos.

A Dobradura de Papel vira Arte.

Dos embrulhos e envelopes à criação de objetos e animais. E surgem os grandes mestres do Origami tradicional.

Módulo 3: o Origami Modular.

-Uma unidade para criação de infinitas possibilidades.

-O origami modular chinês: movimento de liberdade de imigrantes.

Origami MODULAR: Rompendo com as regras (desafios) do origami tradicional, o origami modular usa peças encaixantes para criar incríveis e fascinantes formas geométricas, com novos desafios criativos.

Origami MODULAR CHINÊS: “Origami das 1000 peças”, caracterizado pelo grande número de unidades usadas para a criação de objetos e esculturas fabulosas.

Módulo 4: Panorama do Origami Moderno.

Origami: olhares estéticos e matemáticos para a criação de formas e estudo de superfícies no espaço tridimensional transformadas por dobraduras.

Novas formas de expressões artísticas e matemáticas da dobradura.

Artistas, engenheiros, matemáticos  e cientistas investigam as possibilidades espaciais e estéticas das dobraduras..

Artistas, engenheiros, matemáticos e cientistas redefinem as fronteiras do origami.

Os módulos são apresentados por painéis e uma coleção representativa de origamis relacionados.

A Exposição pretende entrelaçar diferentes dimensões da Dobradura de Papel: Meio Ambiente, Arte, Ciência e Matemática com um panorama histórico e contemporâneo do Origami.

Créditos

Esta exposição é um dos produtos gerados pelo Projeto “MATEMÁTICA VIVA: Escolas, Museus de Ciências e Universidades Celebrando a Matemática! ”, aprovado na Chamada MCTIC/CNPq Nº 02/2017: SEMANA NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA – SNCT 2017, dentro da Linha B – Projetos de Abrangência Intermunicipal.

Proponente do Projeto

Eleonora Kurtenbach, Dra. em Ciências Biológicas (Biofísica), Profa. Associada IV do IBCCF-UFRJ, Vice-presidente do Espaço Ciência Viva (ECV).

Grupo de Trabalho

  • Eulina Coutinho Silva do Nascimento, Dra. em Engenharia de Sistemas e Computação-UFRJ, Profa. Associada da UFRRJ.
  • Douglas Monsores de Melo Santos, Dr. em Matemática Pura pelo INPA, Prof. Adjunto da UFRRJ.
  • Aline Mauricio Barbosa, Dra. em Matemática pela UFRJ (2010), Profa. Adjunta da UFRRJ.
  • Gisela Maria da Fonseca Pinto. Dra. em Matemática pela UFRJ, colaboradora.
  • Paulo Henrique Colonese, MSc. em Educação Matemática. ECV, Museu da Viva/Fiocruz.  Organizador da Exposição.
  • Robson Coutinho Silva, Dr. em Ciências Biológicas (Biofísica). Presidente do ECV, Prof. Titular do IBCCF-UFRJ.
  • Rodrigo Bisaggio Cunha, Dr. em Ciências Biológicas (Biofísica), Prof. IFRJ-Campus Maracanã.
  • Tânia Goldbach, Dra. em Difusão C&T – UFRJ, Coordenadora Pedagógica ECV, Profa. Titular IFRJ.
  • Isabel Lourenço Gomes, MSc. em Museologia pela UNIRIO/MAST, Coordenadora de mediação do ECV.
  • João Pedro Morgado Alves, Graduando em Matemática, UERJ, mediador do ECV.
  • Wanderson Douglas Lomenha Pereira, Graduando em Matemática, UERJ, mediador do ECV.
  • Mariana de Souza Lima, Graduanda em Física, IFRJ, mediadora do ECV.
  • Isadora Robinault, Graduanda em Comunicação Visual, UFRJ.

Instituições participantes

  • Espaço Ciência Viva.
  • Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro.
  • Instituto Federal do Rio de Janeiro, Campus Maracanã.