Nosso Mundo em Dados: COVID-19

Max Roser e Hannah Ritchie, 23 de março de 2020

Capa: imagem do Rio de Janeiro e São Paulo à noite, visto da International Space Station. (c) NASA, Reid Wiseman , 2017.

A Our World in Data fez uma parceria com a Kurzgesagt para fazer um vídeo sobre a pandemia do COVID-19. “Os virologistas e epidemiologistas foram muito receptivos e rápidos em seus comentários, para que pudéssemos garantir que a ciência estivesse correta e a equipe Kurzgesagt trabalhou dia e noite para produzir o vídeo. Esperamos que o fornecimento de informações neste formulário ajude a divulgar informações úteis sobre como lidar com o mais recente surto de coronavírus. E esperamos que você goste do vídeo!” dizem seus criadores.

Abaixo, apresentamos a transcrição do vídeo. Vale a pena a leitura após ver o vídeo para assimilar melhor os conceitos e ideias envolvidos no problema.

O Início

Em dezembro de 2019, as autoridades chinesas notificaram o mundo que um vírus estava se espalhando por suas comunidades. Nos meses seguintes, espalhou-se para outros países, com o número de casos dobrando em poucos dias.

Este vírus é a Síndrome Respiratória Aguda Grave – Relacionada ao Coronavírus 2 que causa a doença chamada Covid-19 e que todo mundo simplesmente chama de Coronavírus.

O que realmente acontece quando o vírus infecta um humano e o que todos nós devemos fazer?

Um vírus é apenas uma “cápsula” em torno de um material genético [no caso, RNA] e algumas proteínas, podendo-se argumentar não se tratar nem mesmo uma coisa viva. Ele só pode ser duplicado entrando em uma célula viva.

O Corona pode se espalhar através de superfícies, mas ainda é incerto quanto tempo pode sobreviver nelas. Parece que sua principal maneira de se espalhar é por gotículas, quando as pessoas tossem ou se você tocar em alguém que está doente e depois tocar seu rosto ou esfregar seus olhos ou o nariz.

O Ataque Inicial

O vírus começa sua jornada aqui e depois pega uma carona para regiões ainda mais profundas no corpo. Seus destinos são os intestinos, o baço ou os pulmões, onde pode ter o efeito mais dramático. Mesmo apenas alguns Coronavírus podem causar uma situação bastante dramática.

Os pulmões estão revestidos com bilhões de células epiteliais. Estas são as células de fronteira do seu corpo que revestem seus órgãos e mucosas, esperando para serem infectados.

O Corona se conecta a um receptor específico nas membranas de suas células vítimas para injetar seu material genético. A célula, ignorante do que está acontecendo, executa as novas instruções, que são bem simples: copiar e remontar. Ela se enche de mais e mais cópias do vírus original até atingir um ponto crítico e receber uma ordem final: Autodestruição.

A célula meio que se “desmancha” liberando novas partículas de Corona prontas para atacar mais células. O número de células infectadas cresce exponencialmente. Após cerca de 10 dias, milhões de células do corpo estão infectadas e bilhões de vírus invadiram os pulmões.

O Ataque fatal

O vírus ainda não causou muitos danos, mas agora ele vai liberar uma verdadeira fera em você: o seu próprio sistema imunológico. O sistema imunológico, que existe para protegê-lo, pode ser realmente perigoso para si mesmo e precisa de uma boa regulação.

À medida que as células imunológicas entram nos pulmões para combater o vírus, o Corona infecta algumas delas e cria uma confusão.

As células não têm ouvidos nem olhos, elas se comunicam principalmente através de pequenas proteínas de informação chamadas Citocinas. Quase toda reação imune importante é controlada por elas. O Corona faz com que as células imunológicas infectadas exagerem e ordenem destruição em massa de células infectadas.

De certa forma, coloca o sistema imunológico em um frenesi de combate e envia muito mais soldados do que deveria, desperdiçando seus recursos e causando danos.

Dois tipos de células em particular causam estragos:

  • Primeiro os Neutrófilos, que são ótimos para matar coisas, incluindo nossas células. Quando chegam aos milhares, eles começam a bombear enzimas que destroem tanto amigos quanto inimigos.
  • O outro tipo importante de célula que entra em frenesi são os Linfócitos T Citotóxicos, que geralmente ordenam que as células infectadas cometam suicídio controlado. Confusos como eles estão, eles começam a ordenar células saudáveis para se matarem também.

Quanto mais células imunológicas chegam, mais danos causam e mais tecido pulmonar saudável elas matam.Isso pode ficar tão ruim que pode causar danos irreversíveis permanentes que levam a deficiências ao longo da vida.

Na maioria dos casos, o sistema imunológico recupera lentamente o controle.

Ele mata as células infectadas, intercepta os vírus que tentam infectar novas células e limpa o campo de batalha. A recuperação começa, e a maioria das pessoas infectadas pelo Corona passa por isso com sintomas relativamente leves.

Mas muitos casos se tornam graves ou mesmo críticos.

Não sabemos a porcentagem porque nem todos os casos foram identificados, mas é seguro dizer que há muito mais do que a gripe. Em casos mais graves,milhões de células epiteliais morreram e com elas o revestimento protetor dos pulmões desapareceu. Isso significa que os pequenos sacos de ar dos alvéolos, através dos quais a respiração ocorre, podem ser infectados por bactérias que geralmente não são um grande problema.

O paciente pega pneumonia, a respiração fica difícil ou até falha e os pacientes precisam de equipamentos respiradores para sobreviver.

O sistema imunológico lutou com capacidade total por semanas e produziu milhões de armas antivirais. E como milhares de bactérias se multiplicam rapidamente, o sistema fica sobrecarregado.

Elas entram no sangue e invadem o corpo, se isso acontecer, a morte é muito provável.

O Coronavírus costuma ser comparado à gripe, mas na verdade é muito mais perigoso.

Os futuros

Embora seja difícil definir exatamente a taxa de mortalidade durante uma pandemia em curso, sabemos com certeza que é muito mais contagiosa e se espalha mais rápido que a gripe.

Existem dois futuros para uma pandemia como a de Corona: o rápido e o lento. Qual futuro veremos depende de como todos reagimos à pandemia nos primeiros dias do surto.

Uma pandemia rápida será horrível e custará muitas vidas; uma pandemia lenta não será lembrada pelos livros de história. O pior cenário para uma pandemia rápida começa com uma taxa muito rápida de infecção porque não existem contramedidas para desacelerá-la.

Por que isso é tão ruim? Em uma pandemia rápida, muitas pessoas adoecem ao mesmo tempo. Se os números ficarem muito grandes, os sistemas de saúde não conseguirão suportar a pandemia. Não há recursos suficientes, como equipe médica ou equipamentos, como respiradores, para ajudar todo mundo. As pessoas vão morrer sem tratamento.

À medida que mais profissionais de saúde adoecem, a capacidade dos sistemas de saúde cai ainda mais. Se esse for o caso, decisões horríveis deverão ser tomadas sobre quem viverá e quem não viverá.

O número de mortes aumenta significativamente em um cenário como esse.

Para evitar isso, o mundo, ou seja, todos nós precisamos fazer o possível para transformar isso em uma pandemia lenta. Uma pandemia é desacelerada pelas respostas certas.

Especialmente na fase inicial, para que todos que adoecem possam receber tratamento e não haja pontos de crise com hospitais sobrecarregados.

Como não temos uma vacina para o Corona, temos que projetar socialmente nosso comportamento para agirmos como uma vacina social. Isso significa simplesmente duas coisas:

Não ficar infectado e não infectar os outros.

Embora pareça banal, a melhor coisa que você pode fazer é lavar as mãos. O sabão é realmente uma ferramenta poderosa.

O Coronavírus está envolto no que é basicamente uma camada de gordura. O sabão quebra essa gordura e o deixa incapaz de te infectar. O sabão também deixa suas mãos escorregadias e com os movimentos mecânicos da lavagem, os vírus são levados embora.

Para fazer isso, lave bem as mãos, como se você tivesse acabado de tocar em algumas pimentas e quisesse colocar suas lentes de contato em seguida.

O próximo passo é o distanciamento social, o que não é uma experiência agradável, mas uma coisa boa a se fazer. Isso significa: sem abraços e sem apertos de mão.

Se for possível ficar em casa, fique, para proteger aqueles que precisam estar fora de casa para que a sociedade funcione. De médicos a caixas ou policiais. Você depende de todos eles, e eles dependem que você não fique doente.

Em um nível maior, existe a quarentena, o que pode significar coisas diferentes: desde restrições de viagens ou pedidos governamentais para ficar em casa. Quarentenas não são boas experiências e certamente não são populares.

Mas elas garantem a nós – e especialmente aos pesquisadores trabalhando em medicação e vacinação – mais tempo crucial.

Portanto, se você for colocado em quarentena, deve entender o porquê e respeitá-la.

Nada disso é divertido. Mas, olhando para o bem maior, é um preço realmente pequeno a se pagar.

A questão de como as pandemias terminam depende de como elas começam. Se começarem rapidamente com uma subida íngreme elas terminam mal.

Se começarem devagar com uma inclinação não tão íngreme, elas terminam ok. E nos dias de hoje realmente está tudo em nossas mãos.

Literalmente e figurativamente.

Agradecimentos

Muito obrigado aos especialistas que nos ajudaram nesse vídeo em tão pouco tempo. Especialmente ao “Our World In Data”, a publicação online para pesquisas e dados sobre os maiores problemas do mundo e como progredir na solução deles.

Além disso, eles publicam uma estatística mundial, baseados em dados do Centro Europeu de Controle e Prevenção de Doenças (ECDC). Vide abaixo os resultados mundiais médios.

Dados:  Os dados mostrados aqui foram publicados pelo European Center for Disease Control and Prevention (ECDC). Acesse aqui nossa documentação de dados e uma opção para download todos os dados.

LocalQuanto tempo leva para o total de mortos duplicar?Total de mortes confirmadas até 10h (CET) 25 de marçoMortes confirmadas diariamente (25 de março).
Mundo6 dias 18.565+2,200
Itália5 dias 6.820+743
China39 dias 3.287+4
Brasil3 dias46+12

Acesse os dados disponibilizados pela Our World in Data: https://ourworldindata.org/coronavirus .

E a estatística oficial do Brasil, no site do Ministério da Saúde: https://coronavirus.saude.gov.br/

FIQUEM EM CASA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.