Ficção Científica: Missão Marte

MISSÃO MARTE 2004: O PRIMEIRO PASSO SOBRE O PLANETA VERMELHO

Capa: Marte, NASA.

Em 1969, três homens foram à Lua e dois pisaram, pela primeira vez, sobre a superfície lunar. Nos anos seguintes, chegamos ao total de 18 homens indo à Lua e um total de 12 que caminharam sobre o o solo lunar. Suas missões envolviam:

  • orbitar o satélite natural, fotografando e medindo várias propriedades da Lua.
  • lunarrisar, pousar o módulo com segurança.
  • Fotografar e coletar amostras do solo lunar.
  • Viajar em sua superfície, próximo à zona de pouso.
  • Permanecer mais tempo a cada nova missão.
  • Voltar à Terra com as amostras coletadas.

Veja mais detalhes da missão aqui.

a

Michael Collins foi o comandante da histórica missão Apollo 11. Sua missão era orbitar a Lua, enquanto Neil Armstrong e Edwin “Buzz” Aldrin alunissaram.

Hoje, Collins espera que o próximo “passo de gigante” da humanidade nos leve a pisar pela primeira vez em Marte.

MISSÃO MARTE

E esta viagem já está sendo planejada. Collins, muito otimista, acreditava que uma expedição ao nosso planeta vizinho poderia ser tecnicamente possível já mesmo no ano 2004! Entretanto, será necessário obter os recursos econômicos para uma missão desse porte. E mais pesquisas sobre as condições do planeta e, principalmente, a existência de água no planeta.

Em um importante discurso no Centro Espacial Kennedy em 15 de abril de 2010, o ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama projetou uma missão tripulada a Marte a metade da década de 2030, seguida de uma aterrissagem:

Na metade dos anos 2030, eu acredito que poderemos enviar humanos à órbita de Marte e retorná-los com segurança à Terra. E uma aterrissagem em Marte se prosseguirá. E eu espero ainda estar por aqui para ver isso acontecer.

Em 11 de outubro de 2016 Obama reafirmou que os Estados Unidos pretendem enviar humanos para Marte na década de 2030 e que trabalha em conjunto com a iniciativa privada para alcançar este objetivo. O congresso dos Estados Unidos apoiou uma missão tripulada para a Lua, seguida pela exploração de um asteroide em 2025 e Marte na década de 2030. Mas as políticas podem mudar…

Mesmo assim, muitas sondas têm sido enviadas à Marte desde os anos 1970, para sondar e descobrir o máximo que pudermos sobre o planeta, para poder planejar uma viagem ao Planeta Vermelho.

Sonda Mariner 9 lançada em 1971. Parte do Programa Mariner. Tirou mais de 7000 fotos, permitindo montar o primeiro mapa de Marte.

Em 1990, Collins publicou o livro: “Missão à Marte” nos contando como seria uma primeira expedição da humanidade para além da nossa eterna companheira Lua. O livro era baseado em conhecimentos e projetos da época. Baseado em seu livro, vamos lhes contar as principais etapas de uma possível e próxima expedição humana ao planeta Marte, com algumas atualizações em relação à missão descrita por Collins.

Mas antes de começarmos a nossa história propriamente dita, seria interessante você imaginar e sonhar com uma viagem assim e mais ainda, pensar em que tipo de problemas os responsáveis por tal missão teriam que enfrentar e resolver. Forme uma equipe e discuta as seguintes questões:

  • Quanto tempo duraria tal viagem com a tecnologia disponível atualmente?
  • Quantos astronautas poderiam ir na expedição?
  • Que tipo de profissionais seriam estes astronautas?
  • Como os astronautas seriam escolhidos? (Já existem milhares de voluntários!)
  • Que problemas poderiam ocorrer durante a viagem?
  • O que poderia ser feito para evitar tais problemas ou resolvê-los?
  • Como os astronautas seriam preparados para a viagem?
  • Que tipos de experiências seriam feitas em Marte nesta primeira missão? E com que objetivos?

Ao final, você poderia comparar com a incrível (ainda) ficção científica que Collins nos preparou.

A viagem começaria dez anos antes…

JANEIRO – 2014

Selecionar uma equipe para viajar até Marte não é nada fácil. Existem milhares de voluntários de todas as partes do mundo, mas apenas 8 pessoas poderão ser escolhidas. Elas deverão ser de diferentes países envolvidos no Projeto: Estados Unidos, Canadá, Europa, Japão e Russia. Cada uma deve ser um(a) especialista em uma das seguintes áreas: aviação, medicina, ciências ou engenharia. E ninguém poderá ter mais que 40 anos.

  • Pense: por que tão poucos?! Porque apenas 8 pessoas?

Uma questão de peso. Numa viagem deste tipo e com esta duração – 22 meses para ir e voltar de Marte – cada tripulante precisa de pelo menos 30 toneladas de comida, água e oxigênio!

MARÇO 2014

Começam os dez anos do longo treinamento dos tripulantes. A equipe é formada por quatro homens e quatro mulheres, mas também existe uma equipe de reserva, com substitutos para cada tripulante.

  • Pense: porque os substitutos são necessários?

A maior parte do treinamento será em simuladores de vôo, onde eles ensaiam cada passo da missão nos mínimos detalhes. Para tentar reproduzir as condições e as sensações que a equipe sentirá em Marte, eles também treinarão na Antártica e num deserto da Califórnia (ambientes com baixas temperaturas e semelhanças geológicas com Marte).

Agora, daremos um pequeno salto no tempo.

JUNHO – 2024

Todos os sistemas já estão prontos!

Os membros da equipe são lançados no espaço de duas plataformas de lançamento ( NASA e ROSKOSMOS) até a Estação Espacial Internacional, completada em 2011 . A ISS (EEI) é um grande laboratório das agências espaciais internacionais que desenvolve projetos da NASA (EUA), CSA (Canadá), ESA (Europa), JAXA (Japão) e ROSKOSMOS (Russia).

S119-E-008577 (25 março 2009) International Space Station vista da nave espacial Discovery. As tripulações da STS-119 e Expedition 18 concluíram 9 dias, 20h 10min de trabalho cooperativo a bordo na nave e da estação.

A Estação Espacial Internacional deu continuidade aos projetos das estações espaciais MIR (Russia) e da SKYLAB (Estados Unidos).

A nave da missão tem dois módulos espaciais, construídos em parceria das agências espaciais envolvidas na Estação Espacial Internacional.

Com os tripulantes já a bordo, os dois módulos são lançados da estação e, pouco tempo depois, se encontram e se acoplam em pleno espaço. Agora, os dois módulos formam uma única nave a caminho do Planeta Vermelho.

JULHO – 2024

Durante os primeiros dias da missão, a gravidade zero deixou alguns tripulantes muito enjoados. Mas eles acabaram se acostumando. Como os músculos não têm que se esforçar muito na ausência de gravidade, eles se tornam menores e mais fracos – até mesmo o coração encolhe. E por motivos ainda desconhecidos, na ausência da gravidade, os ossos começam a perder cálcio. Quando isto ocorre, os ossos começam a ficar mais finos, mais leves e mais fáceis de quebrar.

Mantendo a Forma em Gravidade Zero. https://i.ytimg.com/vi/ZoZkvUHBI-w/maxresdefault.jpg

Só existe uma maneira da tripulação superar estes problemas – exercícios. Todo dia, eles passam algumas horas num aparelho de ginástica e numa bicicleta ergométrica. Isto é exaustivo e transpirante. Além disso, transpirar é outro problema na gravidade zero. O suor fica flutuando pela cabine, podendo atingir e até mesmo danificar os equipamentos.

SETEMBRO – 2024

Não é fácil ficar “engaiolado” por tanto tempo. A única coisa que a tripulação pode ver pelas janelas são longínquas estrelas. Eles não podem sair para ver seus amigos, parentes e caras novas.

Relaxando com Gravidade Zero. Foto: NASA.

Imagine ficar 22 meses preso em seu quarto, sem poder sair, olhando apenas pela janela…. pois é, esta viagem é algo parecido…com a única diferença que seu quarto estaria a caminho de Marte!

OUTUBRO – 2024

A falta de privacidade irrita um pouco alguns tripulantes. As discussões e conversas em voz alta aborrecem a todos. Assim, os astronautas mantêm seu tom de voz sempre baixo. Mas alguns ruídos não podem ser evitados. À noite, tentando dormir, alguém sempre escuta líquidos escorrendo pelas tubulações ou ruídos de máquinas atrás das portas…

  • E se alguém peidar sem querer? Será que o cheiro ficará preso na nave toda a viagem? Como resolver este problema?

NOVEMBRO – 2024

A nave está se aproximando de Vênus.

Vênus, NASA.
  • Ih! Será que o piloto errou o caminho?

Não se preocupem, isto já estava planejado. Eles usarão a gravidade de Vênus para lançar a nave em direção à Marte, numa manobra bem arriscada, qualquer erro e a nave poderia ser atraída fatalmente para o Planeta Veneno, cancelando a missão. É o chamado Estilingue Gravitacional.

A primeira vez em que o “efeito estilingue gravitacional” (ou manobra gravitacionalmente assistida)  foi utilizado remonta a 1973 quando a sonda Mariner 10 viajava para Mercúrio e Vênus. A sonda Cassini-Huygens valeu-se desse tipo de manobra passando próxima de Vênus  em 1998, outra vez em 1999 na sua passagem pela Terra e finalmente na passagem em 2000 por Júpiter.

Como a nave passará a poucos milhares de quilômetros deste planeta coberto por nuvens, estará perto o suficiente para que a tripulação observe e estude seus gigantes redemoinhos de vapores. Vênus é uma visão assustadora e fascinante. A tripulação aproveita para tirar fotografias e fazer medições por todo o planeta.

  • Que viagem fantástica! Ir até Marte e ainda passar perto de Vênus. Dois planetas numa mesma viagem, isto é muito excitante, não acha?!

DEZEMBRO 2024

Após passar por Vênus, a vida dentro da nave voltou à calmaria. Mas o trabalho mantém a tripulação ocupada. Toda “manhã”, eles se reúnem e discutem suas tarefas e compromissos diários. Em seus turnos de trabalho, eles verificam os sistemas, equipamentos e provisões e também fazem experiências.

Como as festas de fim de ano se aproximam, a tripulação está de baixo “astral”, todos sentem saudades de casa. Para melhorar o ânimo da tripulação, o Controle da Missão – aqui na Terra – transmite algumas mensagens de pessoas de todas as partes do mundo para os tripulantes.

  • Que mensagem você mandaria para eles? Escreva uma.

Além disso, eles conversam com seus amigos e parentes. Mesmo assim, os tripulantes aindam continuam meio tristes e saudosos.

Um dia, o computador dispara o alarme – o módulo estava em perigo: um meteoro atingiu a nave, reduzindo a pressão do tanque de oxigênio. Os corações disparam, a tripulação tenta controlar a situação. É questão de vida ou morte!

Felizmente, esta emergência era apenas um treinamento surpresa. Problemas deste tipo foram planejados e simulados pelo Controle da Missão e foram colocados no computador central para disparar a qualquer momento da viagem,  sem avisos.

Resolver problemas deste tipo ajuda a tripulação a estar preparada para qualquer acidente de verdade. Além disso, os médicos e psicólogos do Controle da Missão podem verificar como está o quadro emocional dos tripulantes durante a viagem.

FEVEREIRO 2025

As sirenes estão tocando no módulo. Outro alarme. Uma emergência e, desta vez, não é treinamento. O Sol emitiu uma grande explosão de radiação. A tripulação está em perigo.

Explosão Solar. APOD. NASA. https://apod.nasa.gov/apod/ap141122.html

As explosões solares são uma explosão súbita de energia emitida pelo Sol. Elas duram pelo menos um ou dois e lançam altos níveis de radiação através do sistema solar. A Terra está protegida desta radiação pela sua atmosfera. Mas a fuselagem da nave não pode espalhar os raios. A radiação vai atingir a Terra em 8 minutos e o módulo em cerca de 12 minutos. A tripulação está avisada e se protege atrás dos tanques de óleo e de água. Estes tanques os protegerá da radiação até as explosões solares pararem.

MARÇO – 2025

É hora de fazer os exames médicos.

Medindo Pressão Ocular. NASA.

O médico da tripulação faz exames de sangue e de urina para verificar quanta radiação a tripulação tem absorvido durante a viagem.

Coletor de Urina. NASA.

Os resultados são transmitidos para os médicos do Controle da Missão estudarem.

Conheça os exames médicos necessários aqui.

MAIO – 2025

Um grande objeto está na mente e na visão de todos: MARTE! E mais ainda: suas duas pequeninas “luas”: Fobos e Deimos, dois pontos bem brilhantes no céu.

Os astronautas não precisam mais de telescópios para ver seus grandes vales e montanhas. Ansiosos para aterrissar, eles entraram em plena atividade. Conforme o módulo orbita, circulando o planeta, eles procuram um local seguro e cientificamente interessante para o pouso. O planeta Marte já foi examinado por muitas sondas espaciais nos anos anteriores, desde o Programa de sondas Viking iniciado em 1975.

Saiba mais sobre o Mangala Vallis no site da ESA.

As fotografias mostraram que um bom lugar para aterrissar seria perto do Mangala Vallis. Marte possui incríveis formações geológicas. Alguns de seus vulcões são tão grande quanto o estado do Rio de Janeiro e o Mangala Vallis é um deles. É um vale com crateras de meteoros e leitos secos de rios e de lavas.

JUNHO – 2025

Um submódulo de provisões e equipamentos, sem tripulação, é lançado para o planeta. Ele contém os equipamentos necessários para uma estadia de 40 dias no planeta para 4 pessoas.

  • Mas por que só para quatro pessoas?

Apenas quatro tripulantes marterrissarão em Marte, os outros quatro ficarão em órbita do planeta.

Como o disco enviado com as sondas Voyagers nos anos 1970, a Missão levou várias mensagens de boas vindas de todo o planeta Terra. Escute aqui as mensagens enviadas em várias línguas no disco que foi colocado nas sondas Voyagers.

Quando o submódulo de provisões marterrissa, um sinal de rádio eletrônico começa a emitir sinais de boas vindas em muitas línguas da Terra, coletadas com ajuda do mundo todo nos dez anos de treinamento.

Em seguida, o módulo de marterrissagem se separa do módulo orbital com apenas 4 tripulantes. Guiado pelo sinal de rádio, ele aterrissa ao lado do submódulo de provisões.

Pela primeira vez, em meses, os quatro membros da tripulação sentem novamente a força da gravidade. Embora a gravidade marciana seja apenas 1/3 da gravidade terrestre, isto faz com que suas pernas se sintam pesadas.

  • Quanto você pesaria em Marte?

Excitados e ainda desajeitados, os tripulantes esperam que seus corpos se ajustem às novas condições. Então, eles colocam seus trajes de pressão. Sem os trajes, eles morreriam rapidamente, a atmosfera em Marte é irrespirável para os seres humanos: basicamente gás carbônico.

Em junho, a temperatura máxima já registrada no planeta foi de 14C (média de 0C) e a mínima podendo chegar a -125C (média -78C). O Planeta Vermelho é MUITO FRIO!

Finalmente o grande momento chega.

  • Quem pisará primeiro no chão de Marte? Como você resolveria esta questão? Damas primeiro?

Bem, eles resolveram do jeito deles e, finalmente, pisaram sobre a superfície de Marte, são os primeiros seres humanos a tocar o solo de Marte.

Mas eles têm muito trabalho a fazer, não podem ficar comemorando muito. Embora a vontade de todos fosse dançar, isto ficou para mais tarde.

Sobre a nave está o veículo terrestre chamado carinhosamente de Navegante; um pequeno “habitat” e um pequeno reator nuclear. Após eles instalarem todo o equipamento, a diversão começa: dançar e… explorar.

Neste momento, um importante membro da tripulação é a geóloga. Ela comandará a expedição: procurando fósseis e pequenas formas de vida, como líquens ou colônias de bactérias e também com a mesma importância – água. Como Marte possui gêlo em seus pólos e leitos de rios secos, o planeta pode ter água subterrânea, possivelmente congelada. Assim, os exploradores escavam coletando amostras da crosta marciana.

Caso eles encontrem água, será saudável para bebermos? Poderá ser usada para regar plantas? Tudo isto eles terão que descobrir…

Se as respostas forem afirmativas, será muito mais fácil colonizar o planeta Marte nos anos seguintes.

JULHO – 2025

A cada dia, o “Navegante” faz longos passeios se afastando cada vez mais da base. O solo e rochas avermelhados de Marte são feitos de ferro. Ao longo de milhares de anos, ele oxidou (enferrujou) e a areia avermelhada – tipo barro – cobriu todo o planeta.

O mundo avermelhado de Marte algumas vezes fica mais rubro ainda por causa das tempestades de areia. Eles podem soprar com velocidades superiores a 320 km/h. Mas os exploradores não se preocupam com isto. Como a atmosfera é bastante fina, os ventos são sentidos como uma brisa de verão aqui da Terra.

Enquanto isto, os tripulantes do módulo orbital também têm suas aventuras. Eles fazem uma série de medições do campo magnético do planeta e fotografam a sua superfície, procurando vulcões em atividade. Eles mantêm contato o tempo todo com o módulo de aterrissagem e com o Controle da Missão.

Durante sua estadia, a tripulação apenas cobre uma pequena parte da superfície marciana. Mas já é hora de partir, decolar do Mangala Vallis e se acoplar novamente ao módulo orbital. Os exploradores deixam no planeta o reator nuclear, o navegante e outros equipamentos. Talvez, algum dia, outra expedição será capaz de utilizá-los novamente.

SETEMBRO – 2025

A longa viagem de retorno à Terra torna a tripulação nervosa. Ocorrem discussões por pequenas coisas, até mesmo por comida. Ao final da viagem, cada membro da tripulação terá comido mais de 15.000 refeições. A ausência de frutas frescas e de outros pratos torna a tripulação bastante irritada.

JANEIRO – 2026

  • Todos só conseguem pensar em uma coisa. O que será?

A minha casa, a minha cama, os meus parentes, os meus amigos, …

Alguns tripulantes contam os dias e as horas no calendário.

Algumas vezes, a rotina é quebrada por mensagens pelo rádio de celebridades: presidentes, pacifistas, cientistas, …. e por amores: pais, filhos, esposas, maridos, namorados, namoradas. Na Terra, jornalistas e apresentadores de programas de TV brigam entre si para entrar na fila e entrevistar a tripulação mais famosa da história da humanidade.

  • Você é um deles e conseguiu uma “exclusiva” com todos eles. Mas você só poderá fazer dez perguntas para os astronautas. Quais seriam as suas perguntas?

MARÇO – 2026

A missão está quase no fim. Conforme se aproximam da Terra, todos os oito tripulantes: homens e mulheres entram numa pequena cápsula dentro do módulo. Eles se lançam para a Estação Espacial Internacional, parte da qual já foi transformada numa área de quarentena.

Chegando à estação, a tripulação é submetida à vários testes para verificar seu estado de saúde. Exercícios constantes preparam seus músculos para a gravidade da Terra.

Finalmente o grande dia chega.

A nave Discovery leva a tripulação da estação espacial de volta para a Terra. Algumas horas depois, eles estão aterrisando na Flórida.

A primeira missão humana ao planeta Marte terminou, mas a investigação humana de Marte está apenas começando.

Sugestão de Atividades para Educadores

[1] O texto pode ser lido com o grupo, de preferência por “partes” para disparar a curiosidade. Isto se eles e você aguentarem, é claro! Aqui temos duas opções:

  • (a) você lê o texto para o grupo.
  • (b) cada grupo lê uma das datas, discutindo e interpretando o texto em seguida. Neste caso, cada grupo deverá receber apenas o texto que  lerá de modo que não se cansem da leitura e que prestem atenção às leituras dos outros grupos. Cada grupo deverá anotar o que achou mais interessante das leituras dos outros grupos. O educador poderá  ler algum trecho (de preferência o início) também.

[2] Escolher em que partes do texto serão feitas pausas para debates e discussões com o grupo. Uma sugestão é aproveitar as questões colocadas no texto para o grupo responder e discutir, antes de passar para a parte seguinte do texto.

[3] Construir uma linha do tempo para a viagem.

[4] Como sugerido no início do texto, pedir que cada criança ou dupla escreva uma pequena história contando como imaginam uma viagem a Marte. Aproveitar as questões colocadas no início do texto.

[5] Trocar os textos produzidos na atividade [4] entre as duplas. Cada dupla deverá fazer uma crítica por escrito ao texto.

[6] De posse de seu texto [4] e da crítica [7], cada dupla deverá revisar o texto. Os textos revisados comporão o livro: “Nossas Viagens até Marte!” (ou outro título que a turma escolha…)

[7] Se colocar no papel de um jornalista e formular de 3 a 5 questões para a equipe de tripulantes da Missão Marte.

[8] Sublinhar no texto as palavras que são bem características deste contexto de viagens espaciais. Procurar no dicionário seus significados e sua origem.

[9] Identificar e listar os principais problemas da Missão Marte apresentados ao longo do texto por Michael Collins.

[10] Investigar quais foram todas as sondas espaciais enviadas à Marte e quais eram suas missões.

O Planeta MARTE

Os astrônomos têm aprendido mais coisas sobre Marte nas últimas décadas do que qualquer outro planeta.

A sofisticadas sondas Vikings – provavelmente a melhor máquina  já construída – sobrevoou o Planeta Vermelho, fez mapas de sua superfície, marterrissou, recolheu amostras de solo e fez muitas experiências com o solo procurando formas de vida. Foram feitos testes para dizer se micróbios ou outra forma de vida poderiam sobreviver em sua fria e sêca superfície.

Alguns cientistas acreditam que Marte pode estar agora como a Terra estava a cerca de 200.000.000 anos atrás, um Planeta na Era do Gêlo. Mesmo no verão marciano, as temperaturas sobre Marte são muito baixas.

Marte possui cenários nunca vistos em qualquer outra parte.

  • O Valles Marineris, o grande cânion de Marte, possui 6,4 km de profundidade e 4.800 km de comprimento – grande o suficiente para cobrir toda a extensão dos Estados Unidos. É 100 vezez maior do que o maior cânion terrestre, o Grande Cânion, que seria apenas um pedacinho do Valles Marineris.
  • Marte também possui a maior montanha vulcânica, o Monte Olympio. Possui 24 km de altura – cerca de 3 vezes mais alto do que a maior montanha da Terra – o Monte Everest.
  • Duas luas, Fobos e Deimos, orbitam em torno de Marte. Mas nenhuma delas é esférica nem tem grande quanto a nossa Lua. Ao contrário parecem duas pedras deformadas.
  • Seu solo é avermelhado devido a grande quantidade de ferro em suas areias.
  • Existe alguma água congelada em sua superfície, mas não possui camada de ozônio e quase nenhum oxigênio em sua atmosfera.

Desde então, muitas sondas espaciais com Missão Marte foram lançadas. É uma incrível história de fracassos e sucessos. Muitas sondas tiveram falhas, mas cada falha era uma aprendizagem para melhorar as missões seguintes.

Veja uma lista completa das missões aqui. E também uma lista dos objetos (módulos) que pousaram em Marte.

Onde Procurar MARTE

A luz refletida por Marte é avermelhada e não pisca, de modo que não é muito difícil distinguí-lo das estrelas, incluindo as gigantes vermelhas que piscam.

O problema de Marte é que é difícil prever onde ele estará.

Existem muitos aplicativos de Planetários, Mapas Celestes (ou Mapas Estelares) que funcionam em telefones celulares que poderão lhe indicar onde Marte e outros planetas estarão no céu de sua cidade. Experimente o planetário completo do Stellarium (gratuito).

A melhor época para ver Marte é quando ele está em oposição, ou seja quando a Terra está entre Marte e o Sol. Isto ocorre a cada 25 meses. Marte e Sol aparecem em lados opostos do céu. Então o planeta nasce assim que o Sol se põe e permanece no céu durante toda a noite. Em 2020, vai ocorrer em 13 de outubro! Saiba mais aqui.

Mas para ver alguma das marcas da superfície de Marte, você precisará de um telescópio que amplie pelo menos 200 vezes.

MEDIDAS DE MARTE

  • Distância média ao Sol: 228.000.000 km (1,524 U.A.)
  • Perihélio (mais próximo do Sol): 206.700.000 km (1,380 U.A.)
  • Afélio (mais distante do Sol): 249.200.000 km  (1,666 U.A.)
  • Órbita elíptica: excentricidade = 0,0934 (quase 0,1)
  • Diâmetro: 6.794 km (1/2 da Terra).
  • Ano Marciano: 687 dias terrestres. (1,88 anos terrestres, pouco menos de 2 anos terrestres)
  • Dia Marciano: 24 horas 39 min 35 seg.
  • Satélites Naturais: Fobos e Deimos.

MARINER 9

Diferente de suas predecessoras, a sonda Mariner 9 lançada em 1971, foi posta em órbita de Marte, permanecendo em órbita por quase um ano terrestre. Ela transportava instrumentos mais sofisticados que as sondas anteriores. E as informações que a sonda enviou para a Terra foram surpreendentes!

Quando a sonda chegou a Marte em 14 de novembro de 1971, uma enorme nuvem de poeira tinha coberto o planeta. Mesmo assim era possível ver quatro crateras vulcânicas na região de Tharsis.

Nuvens vulcânicas pairam sobre os picos da região de Tharsis. O Olympus Mons domina acima, à esquerda. No centro, estão os três Montes Tharsis: Arsia Mons ao fundo, Pavonis Mons no centro e Ascraeus Mons no topo. NASA/JPL-Caltech

Por volta de janeiro de 1972, quando a visibilidade do planeta melhorou, a superfície marciana se revelou consideravelmente mais dramática e variada do que tinha sido indicado nas primeiras explorações.

Os quatro vulcões da região de Tharsis são imensos. O maior deles, o Monte Olympio, possui 550 km de diâmetro em sua base e 25 km de altura – aproximadamente três vezes mais alto do que o Monte Everest.

A sonda Mariner 9 também transmitiu imagens de um canion que supera qualquer formação geológica semelhante aqui na Terra. Batizado de Valles Marineris cobre 4.000 km na direção leste a oeste, no hemisfério sul do planeta. Por comparação, na Terra, o grande canion do Colorado se extende por “apenas” 450 km!

AS VIKINGS

Como Marte e Terra estão em oposição apenas por um mês aproximadamente de dois em dois anos, ou seja, em sua máxima aproximação, a próxima oportunidade para exploração marciana foi no outono de 1974 quando os soviéticos lançaram quatro sondas espaciais, incluindo duas que deveriam aterrissar em Marte. Infelizmente as sondas soviéticas não podiam ser reprogramadas em vôo e apenas a sonda orbital Mars 5 completou sua missão, dando 20 voltas numa altitude de 1.500 km, tirando várias fotografias de sua superfície.

O programa espacial americano lançou suas sondas em 1976. As sondas Viking 1 e Viking 2 eram sondas orbitais combinadas cuja principal missão era procurar sinais de vida.

A Viking 1 chegou em Marte em junho deste ano, sobrevoando o planeta durante um mês a procura de um local adequado para lançar o módulo de marterrissagem que foi lançado, caindo de paraquedas na região de Chryse Planitia em 20 de julho de 1976.

A sonda Viking 2 chegou em agosto, lançando seu módulo de marterrissagem sobre Utopia Planitia. As duas sondas orbitais mapearam sistematicamente a superfície marciana e os módulos de marterrissagem analisaram o solo.

A Viking 2 Orbital funcionou até 1978 e a Viking 1 Orbital até 1980. O módulo de superfície da Viking 2 funcionou até 1980 e o da Viking 1 até 1983. Eles não encontraram nenhum sinal de vida nem mesmo a mais primitiva ou extinta.

Outras sondas continuaram essas missões pioneiras e revelaram mais informações sobre Marte. Atualmente, elas são mais conhecidas pelos nomes dados aos seus rovers (veículos espaciais) que planetarissam a superfície de Marte. Em 2020, teremos duas novas missões planejadas: a PERSEVERANCE (NASA) e a HUOXING-1 (CHINA). E para 2022, a missão ROSALIND FRANKLIN (ESA, Europa e ROSKOSMOS, Russia). Acompanhem as missões!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.