TOU: Tocando O Universo

Tradução e adaptação: Paulo Henrique Colonese (Espaço Ciência Viva, Museu da Vida), Raquel Barros.

Textos Originais: Manual de Uso e Manual de Construção de El Ciel en tus Manos.

Apresentaremos aqui o projeto O CÉU EM TUAS MÃOS que desenvolveu uma semiesfera táctil para pessoas com deficiência visual (cegos e baixa visão) para apresentar a localização das Constelações e alguns objetos do Céu Profundo.

Guia para a Construção Manual da semiesfera táctil

O elemento táctil de apoio para sessões inclusivas de planetário “O céu nas tuas mãos” consiste numa semiesfera de 15 cm de raio (30 cm de diâmetro) que representa a esfera celeste. Este é um guia que o irá ajudar a construir a sua semiesfera usando materiais do dia-a-dia.

Sobre a semiesfera adicionamos diferentes elementos astronômicos (estrelas e objetos de espaço profundo) selecionados para a apresentação. Além dos objetos astronômicos em si, apresenta também alguns elementos guias que permitem ao utilizador cego ou amblíope, seguir as histórias selecionadas.

Objetos representados

Os objetos astronômicos presentes na semiesfera são os seguintes:

  • Estrelas principais: estrelas de diferentes tamanhos que são referidas no guia.
  • Estrelas secundárias: estrelas que fazem parte das constelações mas que não são referidas diretamente no guia.
  • Nebulosidades: galáxias, aglomerados de estrelas e de galáxias ou outros objetos de céu profundo selecionados.

Os objetos complementares guias da narrativa são:

  • Linhas contínuas: linhas que represetam os desenhos das constelações (asterismos).
  • Linhas tracejadas ou descontínuas: linhas que assinalam o caminho entre constelações. Elas guiam o utilizador no caminho entre uma constelação e as outras, de acordo com a narração da sessão.
  • Marcadores de pontos cardeais: indicam e auxiliam a localizar as diferentes direções do céu. Auxiliam a localizar as constelações apresentadas.

Materiais necessários

Apresentamos abaixo uma lista dos materiais e de suas respectivas quantidades para construção dessa versão do Projeto (desenvolvida para o Hemisfério Norte). Recomendamos construir essa versão e depois, planejar possíveis adaptações para o Hemisfério Sul, visto de sua cidade em diferentes estações do ano.

  • Uma semiesfera ou uma superfície esférica de 15 cm de raio (30 cm de diâmetro). Os tamanhos dos objetos descritos neste guia correspondem a uma semiesfera deste raio. As bolas de isopor (EPS) são comercializadas em diferentes tamanhos, medidas pelo diâmetro em milímetros (bolas de isopor ocas de 300 mm de diâmetro). As mais comuns , facilmente encontradas em papalarias comuns são de 250 mm (neste caso, as medidas devem ser recalculadas para essa proporção).
  • Estrelas principais: para as estrelas principais precisamos de bolas de três tamanhos diferentes para representar estrelas com brilhos diferentes. Caso queiram representar mais graus de magnitude, deverão ser obtidos outros tamanhos:
    • 4 bolas de 1,0 cm de diâmetro (estrelas brilhantes, como Betelgeuse em Órion, Aldebarã em Touro, Denébola e Régulos em Leão).
    • 10 bolas de 0,8 cm de diâmetro (estrelas de brilho médio: Bellatrix, Rigel, Almitak, Almilan e Mintaka em Órion, Estrela Polar na Ursa Menor, Merak e Dubhe na Ursa Maior, Castor e Pollux em Gémeos).
    • 2 bolas de 0.4 cm de diâmetro (estrelas menos brilhantes: Alcor e Mizar na Ursa Maior).
  • Estrelas secundárias: Para as estrelas secundárias precisamos:
    • 42 tachas de 0,7 cm de diâmetro.
  • Nebulosidades: Para representar nebulosidades precisamos de duas peças de tecido macio ou material como lã, algodão, etc. Feltros autoadevisos podem ser uma boa solução.
  • Linhas contínuas: De forma a “desenhar“ os asterismos das constelações, precisamos de um fio com cerca de, pelo menos, 0,25 cm de espessura e um pouco áspero. Esta qualidade é importante porque nos permite distinguir o material da superfície da semiesfera. É importante criar contraste. Se usamos uma semiesfera feita de material macio e, por exemplo, para as linhas contínuas colocamos um fio de algodão, será muito difícil para uma pessoa cega ou amblíope distinguir claramente entre estes dois elementos e o utilizador não compreende quais as constelações delineadas. Também pode ser usada para indicar a Eclíptica, que funcionaria como uma linha guia entre as constelações zodiacais.
  • Linhas descontínuas: Linhas descontínuas são caminhos imaginários que guiam o utilizador quando este tem de se deslocar de uma constelação para outra. Podemos criá-las juntando contas ou missangas (ou por exemplo um fio com nós espaçados de igual modo).

A Construção da semiesfera táctil

Para fazer cada constelação juntamos os diferentes elementos que a constituem como as figuras abaixo exemplificam. Os desenhos das constelações (abaixo) podem ser utilizados como modelos de base e colocados no topo da superfície da semiesfera, uma vez que os seus tamanhos correspondem a uma semiesfera de 300 mm de diâmetro.

Para outros tamanhos é necessário aumentar ou diminuir os desenhos de acordo.

As constelações podem ser construídas diretamente na semiesfera. Dependendo dos materiais que escolhemos para semiesfera, estrelas, nebulosidades, etc., vamos colar, prender, pregar cada elemento na semiesfera, como é exemplificado nas figuras.

Finalmente cortamos um quadrado de 2,5 cm de lado de um material rugoso, como por exemplo uma lixa suave ou feltro adesivo. Colocamos este quadrado ente Órion e Touro, na base da semiesfera e assim temos o nosso ponto guia inicial para começar a utilizar este elemento tátil.

Sugerimos, aqui, marcar os 4 pontos cardeais e não apenas um ponto como indicado no projeto original.

Construindo as Constelações Selecionadas

Legenda de objetos nos desenhos das constelações selecionadas abaixo.

ÓRION TÁCTIL. Para esfera de 300 mm de diâmetro. Para bolas de isopor de 250mm, multiplique todos os valores por 0,83.
TOURO TÁCTIL. Para esfera de 300 mm de diâmetro. Para bolas de isopor de 250mm, multiplique todos os valores por 0,83.

PLÊIADES TÁCTEIS. Para esfera de 300 mm de diâmetro. Para bolas de isopor de 250mm, multiplique todos os valores por 0,83.

URSA MAIOR E URSO MENOR TÁCTEIS. Para esfera de 300 mm de diâmetro.
Para bolas de isopor de 250mm, multiplique todos os valores por 0,83.
GÊMEOS TÁCTEIS. Para esfera de 300 mm de diâmetro.
Para bolas de isopor de 250mm, multiplique todos os valores por 0,83.
LEÃO TÁCTIL. Para esfera de 300 mm de diâmetro.
Para bolas de isopor de 250mm, multiplique todos os valores por 0,83.

A SEMIESFERA TÁCTIL

Após imprimir ou desenhar sobre a semiesfera, os desenhos da constelações, você poderá inserir as linhas tracejadas, conforme imagens abaixo.

Semiesfera táctil. Vista superior.
Semiesfera táctil. Vista lateral com ponto cardeal guia.

Modelo fabricado em fibra de vidro para uso em sessões do Observatorio Astronómico de la Universidad de Valencia.

ALGUNS PRINCÍPIOS CONSTRUTORES

  • Existem 88 Constelações oficializadas pela IAU atualmente. Não é conveniente representar todas e todos os detalhes.
  • Devem ser representadas as mais importantes e significativas que serão apresentadas na atividade. Isto vai depender das histórias e narrativa que estiver apresentando. Deste modo, dependendo da apresentação desejada, você pode criar outras esferas específicas.
  • Este modelo representa um céu do Hemisfério Norte, na estação do Inverno, com uma latitude bem ao norte.
  • Para usarmos a ideia no Hemisfério Sul, deve ser adaptada ao céu da estação e à latitude da cidade local de observação.
Modelo em fibra de vidro em uso nas sessões do Observatorio Astronómico de la Universidad de Valencia.

Em breve, apresentaremos:

  • Sugestões de uso do modelo pelo projeto original.
  • Sugestões em desenvolvimento, inspiradas neste projeto, para representar o Céu do Hemisfério Sul, visto da cidade do Rio de Janeiro, nas quatro estações (4 semiesferas diferentes).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.