Astronomia sem Telescópio: Cúpula de Cristal

Capa: Cúpula de Cristal no Parque Astronômico La Punta.

Série AST: Astronomia sem Telescópio. Instrumentos.

Adaptado de Horacio Tignanelli, El Solar de las Miradas, no Parque Astronómico La Punta. PALP.

Um dos modelos geométricos mais efetivos que já foi aplicado ao céu é o de uma esfera centrada no observador, de raio infinito, sobre cuja superfície interna se projetam os astros.

A posição de um astro nessa esfera celeste se refere a retas e planos de referência que cruzam a esfera celeste e permitem determinar a posição por meio de medidas angulares que formam diversos sistemas de coordenadas. Tudo para localizar e acompanhar os movimentos aparentes dos astros.

Muitos dos planos, pontos e retas que servem de referência na esfera celeste são projeções homólogas às da esfera (globo) terrestre. Por exemplo, mencionamos os seguintes:

  • o Equador Celeste é a projeção na esfera celeste do Equador terrestre,
  • os polos celestes (sul e norte) são, respectivamente, a projeção dos polos terrestres sobre a esfera celeste.

O astrônomo incorpora em sua mirada muitos desses planos a fim de exercitar sua localização no céu e de educar sua percepção mediante relações de aspecto, posição e movimento dos astros.

Ainda que a esfera celeste seja indefinidamente grande, é possível representa-la como se fosse vista de fora.

A Cúpula de Cristal do El Solar de las Miradas é um dispositivo que modela alguns dos principais planos de referência astronômicos e materializa alguns aspectos da esfera celeste para um observador situado no centro do dispositivo e, ao mesmo tempo, permite que sejam observados por outro observador que pudesse mirar de fora da mesma.

Em outras palavras, quando o observador se posiciona no centro da Cúpula de Cristal, faz coincidir seu zênite com o ponto mais alto do dispositivo e, ao visualizar o céu, simultaneamente pode incorporar em sua mirada os planos astronômicos de referência.

Um aro de ferro, montado sobre quatro pilares, representa o horizonte do lugar e, sobre ele se alçam vários semicírculos que modelam os seguintes planos fundamentais:

  • Equador celeste, inclinado em relação ao horizonte em ângulo igual à colatitude do lugar.
  • Meridiano local.
  • Primer vertical.
  • Dois círculos paralelos ao horizonte, chamados almicantarados, a saber:
    • o almicantarado que engloba o polo celeste sul (posicionado a uma altura igual à latitude do Solar das Miradas), e
    • o almicantarado que passa pela interseção do Equador celeste com o meridiano local.

Este dispositivo serve também como um ponto de observação privilegiado, tanto diurno como noturno, que permite visualizar as posições dos astros com relação aos principais planos de referência astronômicos.

MONTAGEM NO EL SOLAR DE LAS MIRADAS

A Cúpula de Cristal instalada no El Solar de las Miradas possui um diâmetro de 300 cm e é sustentada por quatro postes elevados 150 cm sobre o nível da base do instrumento; os postes são de madeira semidura (angico) e de seção quadrada de 10 cm de lado.

O horizonte é feito em chapa de latão com 0,8 cm de espessura e 5cm de largura.

O restante dos planos de referência celestes foi feito com varas metálicas de ferro maciço, também de espessura de 0,8 cm.

À direita, se simula o crepúsculo de uma data equinocial; quando então o Sol, movendo-se sobre o Equador celeste está por ocultar-se exatamente ao Oeste.

One Comment on “Astronomia sem Telescópio: Cúpula de Cristal”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.