Observatório de Jaipur: seu idealizador e construtor

Capa: Observatório a Olho Nú de Jaipur.

Vamos apresentar a história de seu criador, aspectos da cosmologia e cosmogonia indiana e os instrumentos construídos nestes magníficos complexos de observação celeste.

MAHARAJA SAWAI JAI SINGH II: Fundador dos Observatórios Astronômicos da Índia.

Maharaja Sawai Jai Singh nasceu em Vikram Samvat em 1688 D.C.

Seu nome inclui dois grandes títulos:

  • Maha + Radja (O Governante Supremo).
  • Sawai ((1+1/4) em força ou inteligência. Alguém acima do homem comum).

Ele subiu ao trono em 1699, com apenas 11 anos de idade. Ele fundou Jaipur – a Cidade de Jai – uma nova cidade com seu próprio nome “JAI”+ PUR (cidade) em 1727. Ele abandonou a cidade de Amber, a antiga capital dos governantes Kachhawa Rajput. Deste modo, Amber perdeu sua importância e deixou de fazer parte da história dos governantes subsequentes de Dhundar (região de Jaipur, ao norte da Índia).

Ele foi o homem mais notável de seu tempo e um homem da Ciência, embora vivesse em um período de anarquia. O trono não era um leito de rosas, mas um arbusto de cactos. Ele governou sempre “andando em uma corda bamba”, recebendo aplausos ao completar sua passagem, mas consciente de que um pequeno deslize seria fatal. Talvez ele tenha sido conscientemente modelado como o Imperador Mongol Jalāl ud-Dīn Muhammad Akbar (Akbar, o Grande), que como ele, também subiu ao trono ainda muito jovem com apenas 13 anos.

Ele se destacou cedo por sua coragem e uma compreensão madura dos meandros da política. Foi um período difícil: “um período de conflitos trágicos, disputas entre os feudos, intrigas na realeza, traição e violência”, o que ajudou a trazer à tona o melhor dele como um estadista circunspecto e surpreendente governante.

Jai Singh distinguiu-se tanto como um homem da Ciência, um Soldado, bem como um grande Construtor. Ele era bem versado em sânscrito e persa e estava profundamente interessado em Matemática e Astronomia.

Sob a supervisão de sua mãe erudita, ele estudou matemática e astronomia com tutores eruditos – os mestres “pandit”s, tais como

  • Pandit Kewal Ram de Gujrat.
  • Pandit Ratnakar Pundarik de Maharashtra,
  • Pandit Vidyadhar Bhattacharya de Bengala.
  • Pandit Jagannath Samrat, bem versado em ciências astronômicas, o treinou para esta ciência.

Ele tinha uma abordagem universal e simpatia por estudos astronômicos e por esta razão ele consultou diferentes livros estrangeiros, tais como:

  • As tabelas astronômicas de Mirza Ulugh Beg, Sarah-jeej-Mirza,
  • Os Elementos de Euclides,
  • A História de Atlas Coelestis de John Flamstead,
  • Tabulae de De La Aire e Sintaxis de Ptolomeu.

Alguns desses manuscritos estão expostos no City Palace Museum.

Mirza Muhammad Tāraghay bin Shahrukh, persa, conhecido como Ulugh Beg (1394-1449), foi um sultão Timurida, bem como um astrônomo e matemático. Ulugh Beg foi notável por seu trabalho em matemática relacionada à astronomia, como trigonometria e geometria esférica. Ele construiu o grande Observatório Ulugh Beg em Samarkand entre 1424-29. Considerado pelos estudiosos um dos melhores observatórios do mundo islâmico da época e o maior da Ásia Central. Ulugh Beg foi posteriormente reconhecido como o astrônomo observacional mais importante do século XV por muitos estudiosos. Ele também construiu o Ulugh Beg Madrasah (1417-20) em Samarcanda e Bukhara, transformando as cidades em centros culturais de aprendizado na Ásia Central.

Em 1721, com a destruição de Syeds e a ascensão de Mohammed Shah no trono de Délhi, Jai Singh dedicou-se às suas atividades favoritas de Astronomia e construiu seus cinco Observatórios em Delhi, Jaipur, Ujjain, Mathura e Benaras. Tão profundo e perfeito era seu conhecimento em Astronomia que ele descobriu erros nas tabelas de “De la Aire” que lhe foram enviadas pelo Rei de Portugal.

Os instrumentos de Ulugh Beg, o astrônomo real de Samarkand e os usados pelos astrônomos turcos, não atendiam aos seus requisitos. Considerando estes trabalhos científicos de Sawai Jai Singh, alguns o chamariam de “Newton do Leste”. Em 1723, Jai Singh publicou suas tabelas, o Zeech Mohammed Shahi (Movimentos dos Corpos Celestes) e com a ajuda do Maratha e eminente Astrônomo Samrath Jaggannath Bahtt e com seu Arquiteto Chefe Dala Ram, ele chegou à forma atual do Observatório de Jaipur.

Sawai Jai Singh era muito orgulhoso de sua criação científica e desejava que todo o mundo o conhecesse. O Vice-Rei português em Goa enviou seus Sermões para Sawai Jai Singh. O jesuíta português apresentou-lhe as obras de Copérnico, Galileu, Kepler, etc. Outros dignatários do mundo e pessoas que trabalham no campo da ciência astronômica o parabenizaram.

O OBSERVATÓRIO DE JAIPUR

O Observatório foi construído em estilo hindu, embora influenciado por estilos islâmicos e gregos. Mesmo assim, Sawai Jai Singh melhorou a técnica e construiu instrumentos de alvenaria para chegar a cálculos minuciosos com precisão.

O Observatório de Jaipur é um dos maiores observatórios de cinco observatórios construídos pelo Maharajá Jai Singh e contém 18 instrumentos diferentes.

A manutenção deste observatório atualmente é bastante satisfatória, sendo um ponto turístico da Divulgação Científica em Astronomia. Ele passou por uma grande reparação e construção de instrumentos com mármore, executada sob a supervisão de Chandra Dhar Sharma Guleri (1883-1922) na época do Maharajá Sawai Madho Singh II, em 1901 d.C.

Jai Singh realizou o Ashwamedha Yagya, o “Sacrifício do Cavalo Branco”, um rito hindu muito antigo, para suposição de supremacia universal. Um cavalo inteiramente branco é virado e autorizado a vagar e pastar à vontade, seguido pelo exército para proteger o cavalo de todos os assaltos e capturas. É praticamente um desafio e se o animal vagar por um ano e retornar ileso e o exército permanecer sem ser derrotado, então o executor do rito é considerado monarca absoluto de todo o território pelo qual o cavalo percorreu. Brahmpuri, um subúrbio de Jaipur, na antiga estrada âmbar, ao pé do forte de Nahargarh, é dito ser o local de realização deste sacrifício e ele construiu um pilar, que ainda existe.

A morte de Jai Singh ocorreu em 1744 após um reinado de 45 anos. Ele foi cremado em Gaitore em Brahmpuri, onde o Cenotáfio (monumento-tumba), notável pela excelência e dignidade, foi construído. É um espécime de templo da arquitetura hindu e tem ornamentos em mármore. As diferentes divindades e ídolos esculpidos em mármore aqui, são magníficos.

HORÓSCOPO VÉDICO KUNDLI de SAWAI JAI SINGH II, MARAJÁ DE JAIPUR, 1688 d.C.

A Astronomia e a Astrologia possuem uma origem comum e interligada, e ambas buscam identificar e precisar a posição dos principais astros celetes. A observação do céu tinha um papel importante na determinação do “Horóscopo” indiano.

O caráter e as qualidades de Jai Singh, narradas acima, também são apoiados por seu Horóscopo Kundli.

Um Horóscopo Kundli de nascimento é um mapa astrológico criado com base na data exata do nascimento, hora e local de um indivíduo. É essencialmente um horóscopo pessoal, criado usando o Sistema de Astrologia Védica. Este gráfico indica as posições dos vários planetas, incluindo o Sol, a Lua, aspectos astrológicos e ângulos significativos, no momento do nascimento de uma pessoa. Um Kundli é frequentemente preparado por um astrólogo proficiente para obter insights sobre a personalidade, o potencial, o passado, presente e futuro de um indivíduo. Cada casa é associada a um Bhava (estado de espírito).

  • Casa 1 – Casa do Eu / Identidade – Tanu Bhava
  • Casa 2 – Casa da Riqueza – Dhan Bhava
  • Casa 3 – A Casa dos Irmãos – Sahai Bhava
  • Casa 4 – Casa do Lar / Mãe – Bandhu Bhava
  • Casa 5 – A Casa das Crianças – Putra Bhava
  • Casa 6 – A Casa dos Inimigos – Ari Bhava
  • Casa 7 – A Casa do Cônjuge – Yuvati Bhava
  • Casa 8 – A Casa da Morte – Randhr Bhava
  • Casa 9 – A Casa da Fortuna – Dharma Bhava
  • Casa 10 – Casa da Carreira – Karma Bhava
  • Casa 11 – Casa de Grandes somas, ganhos e amigos – Labh Bhava
  • Casa 12 – Casa da Iluminação – Vyaya Bhava

Na Astrologia Védica, temos 12 meses astrológicos: Malha Rashi (Áries), Vrisha Rashi (Touro), Mithun Rashi (Gêmeos), Karka Rashi (Câncer), Simha Rashi (Leão), Kanya Rashi (Virgem), Tula Rashi (Libra), Vrischik Rashi (Escorpião), Dhanu Rashi (Sagitário), Makara Rashi (Capricórnio), Kumbh Rashi (Aquário) e Meena Rashi (Peixes).

Lagna ou Ascendente, é o primeiro momento de contato entre a alma e sua nova vida na terra. No momento de “Lagna” ou Natividade:

  • Observando a Primeira Casa do Kundli, Jai Singh nasceu no mês de Tula Rashi, associado à Libra, o que lhe dá o seguinte caráter geral: natureza generosa, facilmente influenciada por mulheres, disposta à extravagância, inteligente em assuntos de negócios em geral, natureza mutável e inquieta, gentil e amável, natureza dura, afeiçoada a viagens, virtuosa, respeitada por seus parentes, sensível e de simpatias, espírito alegre, autoindulgência, influenciado pela bajulação das mulheres, tendências religiosas sinceras e favorecido por pessoas de alto escalão.
  • Por conta de Makar Rashi (Capricórnio) com Júpiter na 4ª casa (a partir de Natividade) e Saturno na 10ª Casa, ele perdeu seus pais muito cedo e assim teve a oportunidade de ascender ao trono quando menor.
  • O signo do zodíaco de Kanya ou Virgem na 12ª casa com seu senhor na 2ª casa e Kumbha ou Aquário na 5ª casa lhe dá luxúria e amor por música, mulheres e literatura, e afeição por trabalho astronômico, bem como para gastar grande riqueza em celebrações matrimoniais.
  • A Lua na casa 10 com seu próprio signo do zodíaco Karka ou Câncer lhe dá forte amor pela construção de cidades , cidades, jardins, obras aquáticas, sarais e palácios.
  • Saturno com sua posição exaltada, ou seja, com Tula ou Libra na primeira casa da Natividade faz dele mestre de grande riqueza e reino.
  • O signo de Vrishchika ou Escorpião na segunda casa lhe dá amor por mulheres e vida luxuosa que é provado por ele ter tido 31 esposas e numerosas concubinas. Sob o mesmo sinal, ele também faria atos perversos.
  • O Sol também na segunda casa faz ele se tornar inimigo de seus amigos causando atritos entre eles por sua natureza intrigante para seus próprios fins egoístas. O Sol também o torna escravo das mulheres e da busca por todos os meios para juntar dinheiro. Vênus na mesma casa o torna sábio e poderoso e cria amor por filhos e familiares e também lhe dá riqueza e felicidade.
  • A Lagna Tula ou Libra com Saturno lhe dá o caráter de ser protetor de parentes e firme defensor da religião, natureza mutável, respeitada por seus parentes, popular, dado à bajulação de mulheres, ricas, rápidas, orgulhosas e robustas e não cuidando de ninguém, ousadia em ajudar os outros, afeiçoado a viajar, alto, de unhas longas, olhos de gato, cor de trigo, inteligente em assuntos de negócios e autoindulgência, etc.

Uma das funções das Observações do Céu era o mapeamento das posições dos astros para a construção de seus Horóscopos – uma ferramenta ainda poderosa na cultura indiana e usada para dar nomes aos bebês, determinar casamentos e outras tradições culturais ainda vigentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.