Flores que quero beijar

Foto de capa: Flor Brinco de Princesa com abelha nativa sugando seu néctar. Paulo Marcelo Adamek, CC BY-SA 4.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0>, via Wikimedia Commons.

Parceria entre Espaço Ciência Viva (Prof. Paulo Henrique Colonese) e FEUSP/Projeto Integrado de Estágio em Docência em Matemática e Ciências ( Profa. Raquel Milani e Profa. Martha Marandino). Colaboradora-autora: Julia Marques Silvaeducadora, estudante do curso de Pedagogia da Faculdade de Educação da USP e estagiária voluntária do Espaço Ciência Viva, 2020.

O poder secreto das flores

Sejamos como a primavera que renasce cada dia mais bela…

Exatamente porque nunca são as mesmas flores.

Clarice Lispector

Olhe pela sua janela. Você vê muitas ou poucas plantas?

Já parou para pensar como as plantas se espalham pelo mundo? As florestas e as matas cheias de árvores estão assim hoje, pois as suas sementes se espalharam pela terra, e possibilitaram o desenvolvimento de novas plantas, que cresceram e se tornaram o que nós vemos por aí.

Floresta no Caparaó. Heris Luiz Cordeiro Rocha, CC BY-SA 3.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/3.0>, 2014, via Wikimedia Commons.

Uma grande quantidade de árvores forma uma floresta, como a floresta do Parque Nacional Caparaó, Minas Gerais (Mata Atlântica).

Para as sementes serem criadas e gerarem novas árvores não é tão simples. As plantas geram semente ao se reproduzirem. E algumas plantas possuem flores que atuam em sua reprodução.

As flores lindas que vemos em algumas plantas contém uma “poeira” muito fina e muito importante chamada pólen. Essa “poeira”, na verdade, é formada pelas células reprodutivas masculinas da planta, que precisam se unir às células reprodutivas femininas para iniciar a formação de novas sementes.

O ser humano também tem células reprodutivas masculinas e femininas que quando se encontram iniciam a formação de um (ou mais) bebês. Para as plantas, o bebê é a sementinha.

Pólen de uma variedade de plantas comuns: girassol, glória matinal, malva-rosa , lírio, prímula e feijão ápulo. A imagem é ampliada em alguns x500, de modo que o grão em forma de feijão no canto inferior esquerdo tem cerca de 50  μm de comprimento. Dartmouth Electron Microscope Facility, Dartmouth College – Domínio público.  Dartmouth Electron Microscope Facility. Wikipédia.

O pólen é bem pequeno e precisamos de microscópios muito potentes para tirar micrografias de sua beleza geométrica.

Miolo de uma flor com pólen. Cobiça (região de Mata Atlântica), Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo. (c) Luan Faitanin Volpato, CC BY-SA 4.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0>, via Wikimedia Commons.

Esses grãozinhos de pólen precisam sair de uma planta e chegar até outra, da mesma espécie, para haver a reprodução. É importante que o pólen de um ipê amarelo chegue a outro ipê amarelo, pois só assim nascerão outros ipêzinhos.

Florada de Ipê Amarelo, Elza.Zaciss, CC BY-SA 4.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0>, via Wikimedia Commons.

Um belo exemplar de ipê amarelo pronto para trocar células reprodutivas com outros ipês e formar ipêzinhos.

As plantas têm raízes que as fixam ao chão. Assim, uma árvore não pode ir ao encontro da outra. Por isso, os grãos de pólen devem viajar de uma planta a outra para que a reprodução aconteça. A água e o vento podem auxiliar nessa viagem do pólen, mas as vezes não é o suficiente.

Os Polinizadores

Ao longo do tempo, algumas plantas formaram parcerias muito importante com alguns animais, que fazem o transporte do pólen de uma planta a outra.

Esses animais são chamados de polinizadores, eles facilitam a polinização (ou a viagem do pólen, como você preferir). Muitos insetos são polinizadores, como por exemplo as abelhas, os besouros, as borboletas e muitos outros, mas também existem algumas aves e morcegos que fazem esse trabalho.

A abelha é um inseto polinizador muito importante para o equilíbrio do meio ambiente. Fonte: Pikist – fotografias isentas de direitos.

A polinização forma uma relação em que todos saem ganhando: a flor oferece alimento ou abrigo para o animal e ele, ao entrar em contato com a flor, encosta no pólen, que se prende ao seu corpo. Quando esse animal for procurar comida em outra flor, levará os grãos consigo. Dessa forma, as células reprodutivas das duas plantas entram em contato e podem ser fecundadas, produzindo uma sementinha.

Esse é o grande poder secreto das flores: abrigar as células reprodutivas, atrair os animais polinizadores oferecendo alimento em troca e então fazer com que sementes sejam geradas para produzir novas plantinhas.

Flor Dália llorona (Dhalia sp). Enrique Dans, Madrid, Espanha, CC BY 2.0 <https://creativecommons.org/licenses/by/2.0>, via Wikimedia Commons.

O poder das flores: abrigar o pólen em seu centro, atrair os polinizadores com seu benefícios, como o oferecimento de alimento.

Da flor aos frutos

Uma vez que a flor é fecundada, quando o pólen de outra planta chega até ela, nascerão os frutos.

Os frutos são responsáveis por guardar as sementes, que então cairão no solo e poderão germinar.

Se você já abriu um mamão, por exemplo, deve ter visto que ele possui muitas bolinhas pretas em seu interior. Essas são as sementes do mamão! Se caírem no chão que tem os nutrientes que ele precisa, água e luz do sol, as sementes poderão se desenvolver e assim, gerar novas árvores de mamão.

Não é só com o mamão que isso acontece, é com todas as plantas. A maioria das frutas que comemos são na verdade os frutos das árvores e é por isso que quase sempre conseguimos ver as sementes delas (que normalmente não são muito agradáveis para comer).

Mamão papaia, cortado, mostrando seu interior com sementes e fundo preto. Rodrigo.Argenton, CC BY-SA 4.0 <https://creativecommons.org/licenses/by-sa/4.0>, via Wikimedia Commons.

Na próxima vez que comer um mamão, lembre que essas bolinhas pretas são as sementes, que formariam outros mamoeiros se caíssem no solo correto.

Agora você já sabe como as plantas se reproduzem e sabe da importância da polinização.

Todos os animais e plantas importam para o equilíbrio do meio ambiente

Os animais e as plantas formam um equilíbrio muito importante, pois dependem uns dos outros para se manter no planeta. Sem um, o outro não poderia sobreviver. Por isso, cada planta e cada animal é importante e nós devemos preservar todos eles. O uso de inseticidas, por exemplo, pode ser muito nocivo para esse equilíbrio, já que mata os insetos polinizadores que deveriam estar auxiliando na reprodução das plantas. O desmatamento também é um problema, já que retira as plantas que servem de alimento para esses animais, desequilibrando a relação.

Borboleta polinizando uma flor. Foto de formulário PxHere

Existem  muitos  animais polinizadores, 
como as borboletas, abelhas e insetos 
- os mais conhecidos! 

Mas, existe um, que gosta muito de aparecer
em nossos jardins e que nos encanta
com o seu jeitinho rápido de bater as asas,
e até parece ficar parado no ar. 
Não é um inseto.
Normalmente é pequeno, 
mas tem um bico bem grandão. 

Você já sabe quem é?

Leia a próxima matéria para descobrir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.