Dicas de aprofundamento para os naturalistas de plantão

Imagem de capa: Aaron Burden em Unsplash

Com uma postura mais atenta podemos perceber que as nossas casas e quintais, assim como os jardins e parques que visitamos possuem ilustres habitantes, que normalmente sequer percebemos.

Convidamos você no nosso vídeo “Um naturalista no jardim” a desbravar esses ambientes e vestir a camisa de naturalista para descobrir e observar a enorme diversidade de pequenos animais invertebrados que nos cerca.

 Vamos conhecer um pouco mais sobre os invertebrados que podemos encontrar?

Para ajudar você (estudante, pai, educador ou curioso) nessa empreitada, separamos algumas fontes interessantes que te permitirão observar um pouco mais de perto alguns animais e, se quiser, até tentar reconhecer a que grupo (ou quem sabe espécie) pertencem (Clique aqui). 

Para aqueles que quiserem se aprofundar mais, indicamos fontes específicas sobre técnicas de coleta de animais invertebrados (Clique aqui)

Apresentamos também referências sobre legislação e bioética associada à coleta e manutenção responsável de invertebrados (Clique aqui).

Adicionalmente, separamos algumas fontes para reflexão sobre a importância da vivência e envolvimento da criança com a natureza (Clique aqui). 

Boa aventura!

 

Que tal passear nesses materiais ilustrados e se encantar com os invertebrados?

Exposição “Cerrado – Patrimônio dos brasileiro”, sessão Invertebrados, hospedada no Museu Virtual da Universidade de Brasília (UNB). 

A área da exposição virtual que trata dos invertebrados traz fotos ilustrativas e informações gerais sobre grupos de artrópodes, especialmente insetos, que estão presentes no cerrado brasileiro. São apresentados os grupos das aranhas, escorpiões e carrapatos (quelicerados) e de vários insetos, como borboletas e mariposas (lepidópteros) e abelhas, formigas e vespas (himenópteros).


Disponível em:  http://cerrado.museuvirtual.unb.br/index.php/invertebrados


Cortez, V. G. & Gonçalves, R. B. (2015) Guia da Biodiversidade de Palotina. Universidade Federal do Paraná.

De acordo com os organizadores, o livro tem como objetivo levar informações sobre a natureza que está no cotidiano das pessoas, em suas casas, quintais, jardins e nos parques públicos e particulares, com linguagem acessível.

Em alguns de seus capítulos, o guia traz breve caracterização e algumas curiosidades de diferentes grupos de invertebrados que ocorrem em ambiente terrestre, como anelídeos, moluscos, crustáceos (tatuzinhos de jardim), aracnídeos, miriapodes (gongolos e lacraias) e insetos.

Disponível em: https://docs.ufpr.br/~rbg/assets/files/CORTEZ%20&%20GON%C3%87ALVES%20-%20Guia%20da%20Biodiversidade%20de%20Palotina%20%20LR.pdf


Felix, M.. Almeida, C. E., Serra-Freire, N. M. & Costa, J. (2010) Insetos: uma aventura pela biodiversidade. Fundação Oswaldo Cruz.

Nesse livro elaborado pelos pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), o mundo dos insetos é apresentado de forma simples, clara e objetiva. De acordo com os seus editores, a obra se propõe a atrair a curiosidade dos jovens. No livro são discutidos vários aspectos ligados à biodiversidade dos insetos e as ordens que compõem o grupo são apresentadas.

Disponível em:  http://www.ioc.fiocruz.br/livroinsetos/


Série “Descobrindo a natureza” do Canal Besouro Solto, no YouTube.

A Série traz vídeos com as incursões de um biólogo na natureza, descobrindo os diversos organismos (invertebrados e vertebrados) que habitam os ambientes escolhidos em cada episódio. 

Disponível em: https://www.youtube.com/playlist?list=PLtveo9GTnTeaVO6tKRiHT_0eKOPXtV7s7


Projeto #Taxonomiaemfoco, realizado pelo Canal Biosfera, no Instagram. 

O Projeto traz aspectos interessantes sobre biologia e taxonomia de diversos grupos de invertebrados, especialmente dos insetos. De cada grupo apresentado, são oferecidos exemplos de espécies comuns no Brasil. 
Disponível em: https://www.instagram.com/explore/tags/taxonomiaemfoco/


 

Quer conhecer um pouco mais sobre métodos de coleta, fixação e preservação de invertebrados? Veja as nossas sugestões

de Camargo, A. J. A., de Oliveira, C. M., Frizzas, M. R., Sonoda, K. C. & Corrêa, D. (2015). Coleções entomológicas: legislação brasileira, coleta, curadoria e taxonomias para as principais ordens. Embrapa Cerrados-Livro científico (ALICE).

O livro tem como foco a formação, manutenção e legalização de coleções entomológicas. Os autores discutem desde técnicas de coletas das principais ordens de insetos, até a montagem, conservação e regulamentação das coleções.

Disponível aqui


Krogmann, L., & Holstein, J. (2010). Preserving and specimen handling: insects and other invertebrates. In: Eymann, J., Degreef, J., Häuser, C., Monje, J. C., Samyn, Y., VandenSpiegel, D. (Eds.). Manual on field recording techniques and protocols for all taxa biodiversity inventories. ABC Taxa, p. 463-481.

O capítulo apresenta técnicas de campo utilizadas para fixação, preservação e manipulação de invertebrados como artrópodes, moluscos, anelídeos e platelmintos.

Disponível aqui


Buys, S. C. (2010). Como iniciar e manter uma coleção entomológica? In:  Felix, M., Almeida, C. E., Serra-Freire, N. M. & Costa, J. (Eds.). Insetos: uma aventura pela biodiversidade. Fundação Oswaldo Cruz, p. 331-345.

Nesse livro elaborado pelos pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), o mundo dos insetos é apresentado de forma simples, clara e objetiva. De acordo com os seus editores, a obra se propõe a atrair a curiosidade dos jovens. No livro são discutidos vários aspectos ligados à biodiversidade dos insetos e as ordens que compõem o grupo são apresentadas.

Disponível aqui


 

Após ler sobre métodos de coleta, que tal estar atento à legislação e bioética associada à coleta responsável de invertebrados?

de Vasconcelos, R. M. (2016). Conhecendo as normas legais aplicáveis às atividades de coleta de material biológico e de manutenção de animais silvestres (vertebrados e invertebrados) em cativeiro. In: Vasconcelos, R. M. de (Ed.). Marcos regulatórios aplicáveis às atividades de pesquisa e desenvolvimento. Embrapa. p. 77-110.

O Capítulo traz um levantamento sobre as normas legais aplicáveis às atividades de coleta de material biológico e manutenção de animais silvestres (vertebrados e invertebrados) em cativeiro.

Disponível aqui


Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (2015). Sistema de autorização e Informação em biodiversidade – Sisbio: Manual do usuário. 4ª ed.

O manual do sistema de autorização e informação em biodiversidade (Sisbio) detalha como os pesquisadores devem acessar o sistema para solicitar autorização e licença ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) para atividades com finalidade científica e didática. No manual, o pesquisador poderá consultar os tipos de autorização existentes.

Disponível aqui


Oliveira, E. M.  & Goldim, J. R. (2014). Legislação de proteção animal para fins científicos e a não inclusão dos invertebrados – análise bioética. Revista de Bioética, 22 (1), 45-56.

O artigo problematiza o foco em animais vertebrados da legislação ocidental sobre o uso de animais para fins científicos. Uma das razões elencadas para isso é que os vertebrados seriam os únicos animais capazes de experenciar sensações como as de dor e sofrimento e, portanto, os únicos a demandarem legislação específica. Os autores discutem ao longo do artigo estudos que demonstram indícios de senciência em maior ou menor grau em vários grupos de invertebrados, tais como moluscos cefalópodes e crustáceos decápodes.

Disponível aqui


Gilbertson, C. R., & Wyatt, J. D. (2016). Evaluation of euthanasia techniques for an invertebrate species, land snails (Succinea putris). Journal of the American Association for Laboratory Animal Science, 55(5), 577-581.

Os autores avaliam diversas técnicas de eutanásia em uma espécie de gastrópode terrestre, com prioridade no bem-estar animal e viabilidade tanto em campo quanto em laboratório. Eles demonstram que o método que utiliza imersão em solução anestésica (etanol 5%) e posterior imersão em solução de eutanásia e preservação (etanol 70% ou 90% ou formalina), que já é indicado pela Associação Médica Veterinária Americana para invertebrados aquáticos, é eficaz também para caracóis terrestres e atende a todos os requisitos científicos e de bem-estar. 

Disponível aqui


 

Que tal refletir sobre o papel e a importância da natureza na vida e no desenvolvimento das crianças?

Projeto Criança e Natureza. 

Iniciativa do Instituto Alana, o projeto tem como objetivo favorecer o acesso e a vivência das crianças, notadamente as criadas em contexto urbano, com a natureza de forma a favorecer o bem-estar da criança e a formação de indivíduos adultos mais conscientes.

Para isso, o projeto desenvolve pesquisas e diversas estratégias e ações que envolvem a sociedade civil, organizações e o poder público. Dentre as ações estão publicação de livros e apoio a produção de filmes e documentários sobre o tema da relação da criança com a natureza. O livro “A última criança na natureza”, de Richard Louv e o documentário “O começo da Vida 2: Lá fora”, de Renata Terra, lançado em novembro de 2020, são alguns dos frutos gerados pelo Projeto. Todas as ações e publicações do projeto podem ser acessadas no site https://criancaenatureza.org.br/

No site, também é possível encontrar indicações de livros, estudos, vídeos e organizações internacionais para o aprofundamento no tema da conexão entre a criança e a natureza. 

Vale a pena a visita!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.