Oceânicas pioneiras: Eugenie Clark

Capa: Tubarão de recife caribenho. Albert kok, 2012. In Wikipédia. Licença CC BY-SA 4.0.

Coleção Oceânicas Pioneiras.

Este material foi traduzido para português do Projeto Oceánicas que desenvolve várias atividades para celebrar e preservar o oceano.

Um dos trabalhos do projeto é  Oceánicas: pioneras de la oceanografía onde contam a história de 10 cientistas ilustres, algumas delas bastante esquecidas e desconhecidas. Desde a primeira e única mulher que deu a volta ao mundo durante a época das grandes explorações até mulheres atuais que lideram a luta pela Conservação do Oceano – grande sonho da Década do Oceano (2021-2030) que se inicia esse ano.

Todas as Oceânicas são referências maravilhosas, necessárias e inspiradoras às jovens que sonham ser cientistas e pesquisadoras marinhas. A Mudança Climática, a Sobrepesca e a Contaminação ameaçam transformar o oceano para sempre. Isto torna o acesso equitativo de mulheres e homens a todos os campos das ciências marinhas, incluindo a sua presença em postos de responsabilidade, mais necessário do que nunca.

Temos um desafio enorme e precisamos contar com todos os talentos da humanidade, Para nos inspirar, vamos conhecer hoje mais uma mulher, cientista marinha autodidata – uma Argonauta do Oceano.

Madame Tubarão (Lady Shark); Mais de 40 anos nadando entre tubarões

Em 1922, Eugenie Clark nasceu na cidade de Nova York. Seu pai morreu quando ela tinha apenas dois anos e sua mãe Yumico, de origem japonesa, teve que cuidar sozinha de Eugenie. Para fazer isso, às vezes ela tinha que ser muito criativa e então, alguns dias, enquanto Yumico trabalhava, Eugenie passava
suas horas no Aquário de Nova York

O resultado foi que, com apenas nove anos, ela ficou fascinada pela vida marinha, principalmente pelos peixes e, principalmente, pelos tubarões.

Sua paixão cresceu e ela acabou estudando zoologia na universidade. Começou a se tornar especialista em peixes – ou ictióloga, como são conhecidos esses cientistas – e, aos 27 anos, ingressou em um projeto que a levou a mergulhar em muitos lugares inexplorados da Micronésia, no oceano. 

Da esquerda para a direita: Dr. Otto H. Oren, Prof. Eugenie Clark, Prof. Adam Ben-Tuvia, 1962.
Crédito Bsteinitz. In Wikipédia. Licença CC BY-SA 4.0.

Após seu doutorado, ela continuou explorando novos lugares, desta vez no Mar Vermelho.

Desde então, Eugenie concentrou seu trabalho no estudo dos tubarões. 

Ela mergulhou com esses peixes centenas de vezes durante seus mais de 40 anos de carreira para investigar seu comportamento e ecologia. 

Entre suas descobertas, destaca-se a invenção de um repelente de tubarões, que ela criou a partir de um líquido secretado por outro peixe, que ela observou que os tubarões evitavam comer.

Até a próxima Oceânica!

O texto original pode ser obtido aqui.

E o livro completo com as 10 Oceânicas Pioneiras aqui.

Todo o material original está disponível com a Licença Creative Commons CC BY NC ND. 2021 – Licencia CREATIVE COMMONS Reconocimiento-NoComercial-SinObraDerivada 4.0 Internacional

Para saber mais

Conheça mais o seu trabalho no vídeo Eugenie Clark WIS Project,

Eugenie sempre gostou de compartilhar suas aventuras e investigações científicas com todos os públicos e não apenas no mundo acadêmico. 

Ele escreveu muitos livros, artigos para revistas e estrelou vários programas de televisão.

Ele não parou de mergulhar até um ano antes de falecer … aos 92 anos!

Veja uma minibiografia de Eugenie

Atualmente existem muitos livros infantis e juvenis sobre a vida e obra da Eugenie, a Madame Tubarão, em inglês – infelizmente ainda sem tradução para português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.