#MUSEUSPELAVIDA

Mais de um ano após o seu início, a pandemia de Covid-19 se aprofundou no Brasil e continua tirando milhares de vidas por semana. A produção de vacinas contra a doença, em tempo recorde, nos traz esperança. Mas os debates acalorados sobre a imunização acendem um alerta: há um número incontável de pessoas que declara não ter a intenção de tomar a vacina, seja por dúvida a respeito de sua eficácia, seja por negacionismo ou posicionamento ideológico. Muitas pessoas também se recusam a adotar práticas de prevenção que têm eficácia comprovada, como o uso de máscaras e o distanciamento social.

Os museus brasileiros não podem ficar alheios à realidade em que estão inseridos. Com este pensamento, o Conselho Internacional de Museus – ICOM Brasil lança a campanha #MuseusPelaVida, no intuito de mobilizar as instituições museais para defender ativamente a causa da prevenção e da imunização, prestando, dessa forma, um serviço relevante para suas comunidades.

A ideia é que os museus ajudem a disseminar em seus canais digitais conteúdos de estímulo à vacina e à adoção das práticas de prevenção à Covid-19. 

Compartilhe conteúdos de fontes confiáveis .

Um dos maiores problemas desta pandemia tem sido a circulação indiscriminada e criminosa de fake news.

Os museus têm credibilidade junto a seus públicos e devem utilizá-la para disseminar informações verdadeiras sobre a vacina e as medidas de prevenção.
São nossos parceiros nesta campanha o Museu da Vida, da Fundação Oswaldo Cruz, o Museu de Microbiologia do Instituto Butantan, a Associação Brasileira de Centros e Museus de Ciência e a Rede Brasileira de Coleções e Museus Universitários.

Indicamos abaixo uma lista de contéudos elaborados por estas instituições e que podem ser replicados por todos os museus, organizados em temas:

VACINA

MÁSCARAS

CORONAVÍRUS

Fale sobre a importância das medidas de prevenção.

Use as redes sociais do seu museu para lembrar o público da importância de usar máscara, manter o distanciamento social e fazer a higienização constante das mãos, não apenas durante a visita ao museu, mas o tempo inteiro.
Mobilize pelo exemplo: mostre como os funcionários da instituição seguem os protocolos de segurança e valorize os visitantes que fazem o mesmo. Vale também chamar o acervo para participar da campanha – on ou offline.

Memes, nunca criticamos.

Conteúdo com humor costuma engajar o público da internet com mais eficiência. Por isso, usar memes pode ter um efeito importante na conscientização do público, principalmente o mais jovem.
A melhor forma de se inspirar é acompanhar as tendências nas redes sociais para identificar oportunidades de encaixar uma mensagem de conscientização de forma engraçada.
Também é possível brincar com o próprio acervo, associando legendas inusitadas a obras de arte e objetos em exposição.
Mas é preciso lembrar que o momento é delicado e as brincadeiras devem ser usadas com bom senso e
responsabilidade.

Relacione o acervo de seu museu ao momento que estamos vivendo.

Esta sugestão traz o grande desafio de olhar para o acervo do museu e tentar encontrar conexões com o momento atual que ajudem a compreender a pandemia, como é feita e como funciona a vacina, além de todas as outras medidas de prevenção.
Isso pode ser feito não só por museus de ciência, que têm uma ligação mais direta com o tema, mas também históricos, de arte, comunitários e outras tipologias.

Divulgue a vacinação de pessoas.

Muitas pessoas guiam suas ações pelo exemplo de pessoas inspiradoras. O potencial de influência positiva que educadores, familiares e amigos podem exercer sobre quem está em dúvidas a respeito da vacinação.
Os museus podem ajudar nesse movimento repercutindo sempre que seus profissionais e visitantes em sua área de atuação se vacinarem.

Apoie iniciativas de solidariedade.

Muitas comunidades ficaram ameaçadas pela retração econômica causada pela pandemia e são inúmeras as iniciativas de solidariedade em andamento. Se o seu museu não tem condições operacionais de iniciar sozinho uma campanha de ajuda à comunidade em que está inserido, pode se engajar em iniciativas já existentes, utilizando as redes sociais da instituição para fazer o pedido de ajuda chegar a mais pessoas.

Ative os recursos do seu museu pela vida.

A campanha começa no dia 10 de maio e não tem data para acabar.

Um grande desafio é que as ações de divulgação tenham regularidade.

As redes sociais do ICOM Brasil vão ser utilizadas para compartilhar conteúdos e exemplos para inspirar os museus participantes:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.