Lixo no Oceano

A poluição do oceano não é novidade. Já sabemos ha vários anos o impacto negativo que as ações humanas causam nos mares pelo despejo de materiais inorgânicos que machucam não só a vida marinha, mas as próprias populações costeiras. São animais adoecidos pelo consumo de materiais indigestíveis, e mortos enroscados em redes de pesca; são ecossistemas envenenados pelos acúmulo de toxinas; são pessoas que perdem seu sustento pela falta de pesca, e pela redução do turismo – afinal, ninguém quer ir a um lugar com mais plástico que areia nas praias.

Representação gráfica fora de escala, comparando o Cristo Redentor com o lixo recolhido das praias, por Marina Ponce Garcia.

Um movimento voluntário global em 2014, “International Coastal Cleanup”, recolheu mais de 7300 TONELADAS de lixo das praias de todo o mundo. 7300!!! A estátua do Cristo Redentor no Rio de Janeiro pesa apenas 1,45 toneladas. Então, ao redor do mundo, foi coletado o equivalente em peso a mais de 5000 Cristos Redentores, isso apenas em um ano (saiba mais AQUI).

Vale ressaltar que esse foi o lixo encontrado apenas no solo das praias. Quanto mais estará perdido em alto mar ou se depositando no fundo no oceano, causando ainda mais problemas escondidos dos nossos olhos?

A maior parte do lixo encontrado nas praias são bitucas de cigarro, embalagens de alimento, garrafas plásticas, canudos plásticos, sacolas plásticas, copos e pratos plásticos e latinhas de alumínio. De cara vemos que o plástico é representativo nesse resíduo sólido, tanto por ser um material que leva séculos para ser degradado no ambiente, quanto por ser um dos materiais mais utilizados e despejados. Estimativas indicam que todo ano 8 milhões de toneladas de plástico entram no ambiente marinho, adicionando aos já existentes continentes de plásticos, gigantescas ilhas apenas boiando no meio do oceano.


Leia mais sobre o lixo
encontrado nas praias AQUI

Não é apenas lixo poluindo o mar, mas material sendo desperdiçado. Grande parte – senão todo – esse plástico poderia ter sido reutilizado ou reciclado. Além de prevenir que parasse no oceano, isso teria salvo muita matéria prima, diminuindo os impactos de produção em terra.

Os números das pesquisas já são assustadores, e planos de ação internacionais já estão sendo delineados para lidar com esse problema.

Nesta temporada da série Mergulho no Oceano, traremos informações de como podemos ajudar a limpar os oceanos e conservar a vida marinha, pelo bem do ambiente e das populações presentes e futuras.

Considerando que estamos na Década das Ciências Oceânicas, relacionamos esta temporada ao princípio 6 da Cultura Oceânica: “O Oceano e a Humanidade estão fortemente interligados”.

Assim, a pesquisa científica e as inovações tecnológicas voltadas para a limpeza, segurança e sustentabilidade do Oceano são fundamentais nessa rede de cooperação. E compreender como o oceano influencia nossas vidas e como influenciamos na saúde do oceano, pode e deve fazer parte do que ensinamos e aprendemos nos espaços formais, não formais e informais de ensino.

Estão prontos para mergulhar com a gente nesse assunto?
Assista aos episódios abaixo:

Plástico no Oceano

Lixo e Sociedades Contemporâneas

Lixo e Sociedades Contemporâneas – Parte 2
Como separar e destinar o lixo doméstico

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.