Gattegno: Educação Matemática para Conscientizar

Capa: Dr. Caleb Gattegno. ESWI em English Wikipedia. Licença CC-BY-SA-3.0.

Eu não ensino, deixo os estudantes aprenderem. Gattegno.

Caleb Gattegno (1911-1988) é conhecido por sua abordagem inovadora no ensino e aprendizagem da matemática.

Caleb Gattegno era o professor com o qual todo aluno sonha: não exigia que seus alunos memorizassem, não falava alto – às vezes não dizia uma palavra – e seus alunos aprendiam em ritmo acelerado porque estavam engajados e percebendo seu potencial. Em um mundo onde memorização, recitação e testes padronizados continuam sendo a norma, Gattegno estava bem à frente de seu tempo. https://www.calebgattegno.org/

Ele defende uma “Matemática Visível e Tangível”, baseada em experiências e não na memorização.

Ele foi o autor de obras filosóficas, livros sobre psicologia, materiais educacionais, ficção e tratados sobre uma ampla variedade de assuntos, incluindo cérebro, consciência, energia, morte, saúde, amor e economia. Sua exploração desses tópicos o convenceu de que, embora sejamos essencialmente a mesma pessoa durante toda a vida, humanos saudáveis ​​aprendem e evoluem constantemente. Para Gattegno, o aprendizado humano aumenta e aprimora nossas habilidades existentes, para atender às demandas dos desafios futuros. Ele substituiu teorias que se baseiam exclusivamente em alguma combinação de natureza e criação para explicar o aprendizado e o comportamento humano por uma que centraliza a influência da capacidade exclusivamente humana de consciência e a consciência da consciência, que emana da consciência. https://www.calebgattegno.org/

Gattegno (1970, 1974, 1987, 1988) criou uma teoria de desenvolvimento baseada na ideia de que a aprendizagem ocorre em quatro fases de “conscientização”:

  • Consciência – encontrar e perceber algo desconhecido.
  • Exploração – experimentar por tentativa e erro, e tirar conclusões e critérios de seus próprios erros.
  • Transição – praticar, o que leva à velocidade e precisão.
  • Maestria – aplicar os conhecimentos, insights, compreensão e conhecimento recém-formulados a novas aprendizagens.

Aqui, sintetizadas por Young (1995):

1. Conscientização do Desconhecimento: há algo novo a ser explorado. Sem esta conscientização não é possível iniciar um processo investigativo.

2. Conscientização Experimental (operatória) sobre algo novo. Gattegno pede que a criança crie o número 4 de várias maneiras diferentes com barras coloridas. A criança vê, sente e descreve as características do número quatro. A criança tem uma experiência matemática e se conscientiza de que 4 pode ser dividido em partes e que este processo pode ser descrito de várias maneiras. É uma fase de cometer erros e aprender com eles, se conscientizando de que podemos nos adaptar em relação à retroalimentação dada pelo ambiente. Esta fase termina quando se sabe o que deve ser feito.

3. Consciência da Automatização: é uma fase de transição, ao final da qual, o processo e as ações/operações se tornam conscientemente automáticas, liberando a mente para aprender outras coisas.

4. Consciência de Transferência. Para o resto da vida, o que foi aprendido pode ser usado em todas as novas habilidades que se deseje desenvolver.

(YOUNG, R., 1995, Parte 1, tradução própria).

Deste modo, o papel do educador sobre a aprendizagem não é dar informação aos estudantes, mas ajudá-los a descobri-la, a realizar um ato consciente da tomada de consciência desta informação ou conhecimento.

Seus insights levaram Gattegno a desenvolver ferramentas de ensino que garantem que os alunos sempre tenham critérios – uma certeza interna sobre o que estão fazendo e por quê – e que também apelam para os atributos humanos naturalmente estimulantes e energizantes da imaginação, criatividade, insight e intuição. Sob os nomes comerciais de

Words in Color para alfabetização,

The Silent Way para aprender uma língua estrangeira e

Visible and Tangible Mathematics, ele criou esses conjuntos de ferramentas para evocar poderes de aprendizado inerentes – incluindo, por exemplo, abstração, enfatizar e ignorar, reconhecimento , retenção, imagem, evocação – enquanto, ao mesmo tempo, mantém os alunos conscientemente em contato com esses poderes. Os conceitos de garantir critérios, ver a sala de aula como um laboratório para investigar e refinar a instrução e manter a alegria em descobrir o desconhecido. https://www.calebgattegno.org/

É um inventor de materiais didáticos como o Geoplano e um grande divulgador das Barras Numéricas de Cuisenaire e da Cultura Visual de Nicolet.

Algumas Obras de Gattegno

  • (1937) Les cas essentiellement géodésiques des équations de Hamilton-Jacobi intégrables par séparation des variables, unpublished D Phil thesis, Basle University
  • (1941) Contribution à l’étude psychologique du Trac.’ Bulletin de l’Institut d’Egypte
  • (1943) ‘Les problèmes de l’éducation de l’après guerre’ in Le Progrès Egyptien, novembre
  • (1944) ‘Les enfants et nous’ Causerie pédagogique in Les Lettres françaises, Le Caire.
  • (1944) ‘Six contes pour enfants’, Les Lettres françaises, Le Caire.
  • (1945) ‘Analyse générale et topologie de l’espace des connaissances’ in Bulletin de l’Institut d’Egypte, N° 28.
  • (1945) ‘Etude sur le Jeu’, Bulletin de l’Institut d’Egypte, 27
  • (1946) ‘Studies in the structure of the mind’, Mind, vol LV, no 219
  • (1947) ‘Mathematics and the Child’ in The Mathematical Gazette Vol. 31, N°. 296, octobre. Grande Bretagne. Repris dans For the Teaching of Mathematics Vol.1, 1963.
  • (1948) ‘Psychologie du Dessin Enfantin’ in Enfance N°. 5, novembre-decembre. France.
  • (1948) ‘The Use of Mistakes in the Teaching of Mathematics’ in The Mathematical Gazette, Vol. 32, N° inconnu. Grande Bretagne.
  • (1948) The mathematical definition of education, unpublished MA thesis, London University
  • (1949) ‘Substitutes and Examples’ in The Mathematical Gazette Vol.33, N°. 304, mai. Grande Bretagne. Repris dans For the Teaching of Mathematics Vol.1, 1963.
  • (1949) with A M Ostrowski, Représentation conforme à la frontière ; domaines généraux, 2 vols, Gauthiers-Villars, Paris.
  • (1949) Polynômes de base, par J. M. Whittaker. Autres détails inconnus.
  • (1949) ‘International N.E.F. Conference in Brussels July 10-17, 1949’, The New Era, vol 30, no 9
  • (1949) ‘Further experiments in international education’, The New Era, vol 31, no 10
  • (1949) ‘Pour une éducation de la conscience mondiale’ in Revue spiritualité, N° 60, 61, 62, Novembre – Février 1949-1950.
  • (1951) ‘Adolescent Thought and its bearing on Mathematics Learning’ in Revue Belge de Psychologie et de Pédagogie, Vol. 13, N°. 55-56. Belgique. Repris dans For the Teaching of Mathematics Vol. 2, 1963.
  • (1951) ‘Remarks on Mental Structures’ in Enfance N°. 3. mai-juin. France.  Repris dans For the Teaching of Mathematics Vol. 2, 1963.

Uma listagem mais completa pode ser obtida aqui https://www.calebgattegno.org/bibliography-1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.