Somsacional: Educação Sonora

Capa: Ouvir música. Imagem CC-BY por Freepik.

CONHECENDO E ATUANDO SOBRE AS CONCEPÇÕES SONORAS DE ESTUDANTES

“Aprender a observar o mundo cuidadosamente,

com os sentidos alertas e com a mente aberta, leva tempo

e, aprender a compreender os significados

por detrás destas observações leva mais tempo ainda.” Dee Uyeda e Ann Reeves.

Cada um de nós lida com as experiências e fenômenos sonoros e musicais que observamos e interpretamos, usando nossas próprias histórias pessoais com o Mundo Sonoro.

É necessário reconhecer e valorizar o que trazemos conosco, promover oportunidades e um ambiente para que possamos compartilhar nossas vivências, discutir nossas concepções e revisá-las, se necessário.

A aprendizagem, especialmente quando envolve conceitos abstratos como “harmonia musical, escalas, oitavas, frequências, períodos, etc.” é um processo complexo. Para a maioria de nós, é necessário muito tempo e investigação para que realmente possamos construir esses conceitos. Isto requer atividade, discussão e estabelecimento de relações (conceitos) entre vários componentes (grandezas e variáveis) presentes nas observações.

E para que a aprendizagem ocorra, a lacuna entre o aprendiz (onde o aprendiz está, o que ele é capaz de compreender) e o conceito deve ser investigada pelo educador e o próprio estudante, para que o aprendiz possa se relacionar com as experiências educacionais fornecidas pelo educador ou que resolva investigar para estabelecer suas possíveis conexões.

Como educadores, temos oportunidade de implementar estratégias de ensino efetivas, centradas no estudante e desenvolvidas a partir das pesquisas sobre como a aprendizagem ocorre. Precisamos repensar o que nós ensinamos, como nós ensinamos e como nós avaliamos o que acontece com o aprendiz durante sua aprendizagem.

Devemos enfatizar a produção de mudanças significativas em aprendizes, ajudando-lhes a olhar o mundo sonoro de maneira diferente – de forma mais compreensível e mais confiante. E criar uma atmosfera na qual o aprendiz esteja motivado a querer aprender mais.

De acordo com pesquisas sobre aprendizagem significativa, este tipo de aprendizagem só pode ocorrer quando fornecemos experiências que reconheçam, valorizem e desafiem diretamente as concepções iniciais dos estudantes. Nestas experiências, estudantes encontram situações nas quais eventos e explicações não são imediatamente óbvios e possam ser, de algum modo, contrários aos seus sentimentos ou experiências prévias. Como estas situações nem sempre fazem sentido, elas têm o potencial de criar no aprendiz um conflito cognitivo entre o que se espera que aconteça e o que realmente acontece. É o desejo ou necessidade de resolver este conflito que cria a motivação para aprender. Deste conflito, é que a mudança conceitual pode emergir.

Precisamos reconhecer que:

  • a aprendizagem é um processo complexo,
  • aprender leva tempo,
  • estudantes são diferentes uns dos outros e aprendem de forma diferente.

ALGUMAS CONCEPÇÕES ERRÔNEAS SOBRE SOM

Algumas pesquisas qualitativas, revelam as seguintes concepções iniciais em estudantes sobre o som:

  • O som não pode viajar através de sólidos e líquidos.
  • O som pode viajar através do vácuo, tal como no espaço sideral.
  • O som pode ser produzido sem uso de qualquer material.
  • Bater num objeto com mais força muda o tom do som produzido.

ORIGENS DE CONFUSÕES E CONCEPÇÕES ERRÔNEAS SOBRE SOM

  • Como educadores, falamos de vibrações sonoras em fontes tão diversas quanto diapasões, cordas vocais, bater e soprar em garrafas. A menos que tomemos muito cuidado em conectar estes diversos métodos de produção sonora a princípios comuns, teremos como resultado uma enorme confusão nos jovens estudantes.
  • Conectar o conceito de som a ondas pode provocar confusão, pois ondas sonoras não são observáveis (diretamente) como as ondas na água, por exemplo.
  • Os livros didáticos afirmam que o som precisa de um meio no qual viajar. Enquanto não há nenhum problema em pensar na madeira ou água como um meio, o ar não é tangível da mesma maneira. Para atribuir significado a isto, os estudantes precisam compreender que o ar é uma matéria substancial.
  • Som, enquanto uma forma de energia mecânica é difícil para muitos estudantes compreenderem.
  • Muitos dos conceitos associados com o som requerem construções formais e representações que estão além da capacidade de um grande número de estudantes.
  • As noções de propagação do som e de recepção do som são intrinsecamente abstratas e difíceis para muitos estudantes.
ALGUMAS CONCEPÇÕES INICIAIS DOS ESTUDANTES SOBRE ONDAS
  • Estudantes geralmente pensam na frequência em termos de unidades temporais e confundem-na com o período.
  • O movimento do meio, para cima e para baixo (vibração no nível o caso de ondas na água), frequentemente é confundido com o movimento da própria onda, que se espalha em todas as direções quando uma pedra é lançada sobre um lago.
  • Estudantes costumam confundir aspectos independentes das ondas – amplitude, frequência e velocidade – associando-os em apenas duas partes, o movimento do meio e a intensidade geral. Por exemplo, duas concepções comuns são que:
    • uma oscilação rápida provoca uma grande amplitude e uma velocidade rápida.
    • uma pequena amplitude implica uma velocidade lenta.
  • Colisões de ondas, de acordo com a intuição de muitos estudantes, resultam no cancelamento permanente de ambas as ondas, como se elas fossem objetos mecânicos.

ORIGEM DE CONFUSÕES E CONCEPÇÕES ERRÔNEAS SOBRE ONDAS

  • A relação entre frequência e período requer uma compreensão de razões e proporções, que é um conceito difícil para muitos estudantes.
  • É possível adquirir e usar todo o “vocabulário ondulatório” sem desenvolver uma compreensão conceitual real sobre os movimentos ondulatórios. Frequentemente, o uso mecânico de termos é essencialmente tudo que é testado nas escolas.
  • O movimento ondulatório é um fenômeno cumulativo de muitos movimentos locais. A distinção entre os dois movimentos é sutil, mas crucial para a compreensão de ondas.

NÍVEIS DE COMPREENSÃO SOBRE O SOM

Pesquisas educacionais qualitativas indicam que o conceito de som se desenvolve – em média – perpassando alguns níveis fundamentais de compreensão sobre o som. Educadores, tentaram adequar os níveis de escolarização com os níveis de compreensão observados em pesquisas e propuseram os seguintes objetivos para estudantes desenvolverem seu conhecimento e compreensão sobre a natureza e as propriedades do som.

5 a 7 anos

NíveisComo desenvolver: os estudantes devem:Objetivos Educacionais:
os estudantes devem:
1-41/2
saber que os sons podem ser produzidos numa variedade de formas e que são captados quando atingem nossas orelhas e ouvidos pelo cérebro.
3/4
saber que os sons são produzidos por objetos vibrantes e que podem viajar através de diferentes materiais.
-ter a oportunidade de ouvir e identificar a ampla variedade de sons em seu ambiente imediato e descobrir sobre suas causas e usos.
-investigar modos de produzir sons por batucagem, sacudidela (percussão), puxão (cordas) e sopro, por exemplo, usando objetos familiares e instrumentos musicais simples.
7 a 11 anos

NíveisComo desenvolver: os estudantes devem:Objetivos Educacionais:
os estudantes devem:
55
compreender a relação entre tom e altura de um som com o modo que o objeto vibra (frequência).  
saber que é necessário tempo para o som viajar,
-explorar as mudanças em tom e altura de um som, mudando o objeto que vibram por exemplo, alterando seu tamanho, espessura.
-ter oportunidades de investigar o modo pelo qual o som viaja através de diferentes substâncias, por exemplo, ar, água, sólidos.
11 a 14 anos

NíveisComo desenvolver:
os estudantes devem:
Objetivos Educacionais:
os estudantes devem:
66
saber que o som transfere energia de um ponto a outro através do meio e que certos materiais transferem sons melhor do que outros.
saber sobre o funcionamento do ouvido humano.
ser capaz de descrever sons e vibrações em termos de propriedades simples de ondas tais como frequência e comprimento de onda.
-estudar o modo que o ouvido funciona, a capacidade de audição,
-conhecer as doenças e deficiências comuns de audição,
-refletir sobre os cuidados com a saúde auditiva, tais como os efeitos dos sons altos sobre os ouvidos e o controle de ruído no ambiente.

14 a 16 anos

NíveisComo desenvolver:
os estudantes devem:
Objetivos Educacionais:
os estudantes devem:
7-107
saber que as ondas sonoras podem ser convertidas em outras formas, transmitidas (como sinais elétricos, ópticos ou de rádio) ao longo de grandes distâncias e convertidos em ondas sonoras novamente.
8/9
saber que um objeto vibrante possui uma frequência de vibração característica fundamental e que alguns sistemas produzem oscilações ressonantes que podem ser vantajosas ou desvantajosas (ampliar ou anular um som).
10
– ser capaz de aplicar seu conhecimento das propriedades das ondas para explicar fenômenos sonoros simples (reflexão, refração, difração, interferência).
-explorar sons em termos de movimento ondulatório e sua frequência.
-ter oportunidades de desenvolver sua compreensão das propriedades e comportamento do som pelo desenvolvimento de um modelo de onda, por exemplo, através de observações de ondas em molas e água. Isto deve ser relacionado à vivência dos estudantes com sons e instrumentos musicais, incluindo música eletrônica, em suas próprias vidas.
-caracterizar um som por seus três parâmetros: intensidade, tom e timbre. Isso pode ser feito com ajuda de instrumentos musicais.
-visualizar e interagir com a representação gráfica de um som mediante o uso de osciloscópios digitais, softwares (como o Geogebra e o Audacity) e aplicativos físicos e musicais para esclarecer o significado dos termos anteriores.
-ter a oportunidade de investigar aparelhos sonoros tais como microfones e alto-falantes que atuem como transdutores e ser introduzidos aos mecanismos de vários sistemas de comunicação (telefone, rádio) sobre os quais uma sociedade complexa depende. -investigar as características e efeitos da vibração, incluindo ressonância, numa variedade de sistemas mecânicos.

Pesquisas sobre Concepções e Ideias de Estudantes sobre SOM

CCP/BSSC. RESPeCT PROGRAM. Common Student Ideas about Sound. CCP and BSSC, 2017. Grade 1, Sound Module. Disponível em https://www.cpp.edu/respect/resources/documents_1st/sound/gr1.sound_common_student_ideas.pdf / https://www.cpp.edu/respect/resources/.

FISH, D. B., ANDERSON, T. R., AALIH, S. e PELAEX, N. Classification of sound conceptions. Classificação de Concepções sobre Som. SA Institute of Physics. 2021 Proceedings. Disponível em http://saip.org.za/Proceedings/Track%20E/68.pdf.

HREPIC, Zdeslav. STUDENTS’ CONCEPTS IN UNDERSTANDING OF SOUND. Department of Earth and Space Sciences, Columbus State University. Disponível em https://csuepress.columbusstate.edu/cgi/viewcontent.cgi?article=2105&context=bibliography_faculty.

INSTITUTE OF PHYSICS. IOPSpark. University of York. Many students do not fully understand that sound is caused by vibrations.. Disponível em https://spark.iop.org/many-students-do-not-fully-understand-sound-caused-vibrations.

NURJANI, D. M.; ALPURASI, M.; MAHARTIKA, I. et all. Identifying the Misconception of Sound Concepts among Grade V Students at SDN 192 Pekanbaru. Journal of Physics Conferences Series, novembro, 2020. Disponível em https://www.researchgate.net/publication/345718819_Identifying_the_Misconception_of_Sound_Concepts_among_Grade_V_Students_at_SDN_192_Pekanbaru_Identifying_the_Misconception_of_Sound_Concepts_among_Grade_V_Students_at_SDN_192_Pekanbaru.

POOLE, Amanda, PSTT (Primary Science Teaching Trust). COMMON MISCONCEPTIONS. SOUND. WHY and How, Spring. 2021. Disponível em https://pstt.org.uk/application/files/7716/1288/2120/Common_Misconceptions_Spring_2021.pdf.

SCIENCE TEACHING VIDEOS. Sound Science Misconceptions. Vídeo. Canal Youtube Science Teaching Videos. 2014. Disponível em https://youtu.be/KJmHGspZrJI.

SÖZEN Merve, BOLAT, Mualla. Determining the misconceptions of primary school students related to sound transmission through drawing. Procedia – Social and Behavioral Sciences, Volume 15, 2011, Pages 1060-1066. Disponível em https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S1877042811004186?ref=pdf_download&fr=RR-2&rr=76fd13152dac0167.

One Comment on “Somsacional: Educação Sonora”

  1. Gostei muito deste texto! Achei interessante, a discussão das concepções espontâneas do som, assim como, suas origens no processo de percepção humana. Tem alguma referência sobre este tema?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.